Menina mais atraente do que cara

A pesquisa também mostrou que os homens que ficar de pé e manter uma boa postura fazê-los parecer mais atraente para as mulheres e mais alto do que realmente são. 9. líder Um. Ser capaz de assumir o controle de uma situação é outra característica que as mulheres acham muito atraente em um homem. 4/jul/2020 - Explore a pasta 'Mulheres Atraente' de Ailton Souto no Pinterest. Veja mais ideias sobre Mulher atraente, Mulheres, Beleza de mulher. 10 maneiras qualquer menina pode instantaneamente se tornar mais atraente. Você sabe o que faz uma mulher atraente para um homem? Não há realmente muito mais a ele do que cara a apenas belos e pernas longas, e é tão importante para saber o que transforma homens fora, como é que é entender o que os excita. Quando uma garota pensa na imagem que deseja transmitir para outras pessoas, geralmente se depara com o impasse entre ser a menina 'fofa' ou a 'atraente'. O lado meigo geralmente envolve uma aura mais doce e jovial, ao passo que o lado atraente costuma ser mais ousado. Por sorte, você pode ter um equilíbrio dessas duas características! Vestidos elegantes e modernos para que você se sinta a mulher mais atraente da festa! ;) Nossas peças são embaladas com muito carinho e cuidado para que cheguem em sua casa exatamente como você sonhou. Nosso propósito é deixar você cada vez mais bela e confiante para que possa alcançar seus objetivos e realizar seus sonhos. atraente, cara, menina, cabelo, mão, telefone móvel, piquenique, Verão, Acho que, muito Baixar grátis Original (6000 × 4000 981.6 KB JPG) Médio (1200 × 800 165.7 KB JPG) Claro que tem exceções em tudo, existe homem novo com mais maturidade do que um mais velho. Porém a grande maioria segue o padrão mencionado. Portanto, essas foram as 5 dicas para você se tornar um homem mais atraente para as mulheres. Espero que esse artigo tenha te ajudado de alguma forma, um forte abraço e até a próxima! Quando os garotos começam a pensar sobre como se tornarem mais atraentes para as mulheres, muitas vezes chegam à conclusão de que eles precisam de mais dinheiro ou mais músculos mas isso simplesmente não é o caso. Com alguns ajustes rápidos, qualquer cara pode tornar-se mais atraente para as mulheres. E se você está olhando… Obvio que é mais do que ok que o cara discorde, mas que uma vez que eu diga que sou uma cientista politica ele tenha noção é bem legal. sobre flerte é legal conhecer pessoas com mesmo gosto musical então tente esses lugares, é facil ver com o que que toca que a menina reage mais e voce tem mais afinidade Só isso quase faz você querer conhecer mais um cara, porque há muito mistério em torno dele. Essa garota do Reddit admitiu que acha o nome Bradley atraente, mas também distribui pontos de bônus por nomes que não são comuns. Claro, um dos mais famosos Bradleys por aí é o famoso ator, Bradley Cooper.

Pergunta de um arromântico: pessoas apaixonadas ficam tão “atadas” assim a outra pessoa? Me veio esse questionamento enquanto eu assistia a um anime

2020.09.13 00:43 maquinary Pergunta de um arromântico: pessoas apaixonadas ficam tão “atadas” assim a outra pessoa? Me veio esse questionamento enquanto eu assistia a um anime

Um anime me motivou a criar este tópico, mas você não precisa tê-lo visto para responder, basta entender o contexto porque esse é um questionamento universal.
Estou assistindo a esse anime chamado Kanojo, Okarishimasu (Rent-A-Girlfriend) que basicamente conta a história de um cara que contrata os serviços de uma namorada de aluguel. O protagonista, chamado Kazuya, se apaixona pela namorada de aluguel, cujo nome é Chizuru, mas no decorrer da história aparece outra menina chamada Ruka que se apaixona pelo protagonista. Ainda estou no nono episódio do anime, portanto não me importa o que venha a ser revelado mais a frente.
Apesar de ser arromântico, curto ver romances. O que me causou desconforto nesse anime foi (alerta de spoiler?) a forte rejeição do protagonista Kazuya em relação a Ruka em favor da Chizuru, que diz não amar o rapaz. Ela é muito atraente – não no nível da namorada de aluguel, mas não fica muito atrás – e verdadeiramente ama o rapaz enquanto o relacionamento com a Chizuru é muito incerto. Como expectadores, sabemos que a namorada de aluguel Chizuru tem sentimentos pelo Kazuya, mas o protagonista não tem esse conhecimento.
Sei lá, não consigo compreender o Kazuya. No lugar dele, eu firmaria um relacionamento com Ruka, ela é linda, está interessada em mim e aparentemente não possui nenhuns valores que sejam incompatíveis com os meus. Ruka é a escolha mais lógica.
.
Então é isso: pra você que é romântico (“romântico” no sentido de que não é arromântico) a insistência do protagonista dessa história na namorada de aluguel lhe parece natural?
submitted by maquinary to relacionamentos [link] [comments]


2020.09.12 05:41 maquinary Pergunta de um arromântico: pessoas apaixonadas ficam tão “atadas” assim a outra pessoa? Me veio esse questionamento enquanto eu assistia a um anime

Um anime me motivou a criar este tópico, mas você não precisa tê-lo visto para responder, basta entender o contexto porque esse é um questionamento universal.
Estou assistindo a esse anime chamado Kanojo, Okarishimasu (Rent-A-Girlfriend) que basicamente conta a história de um cara que contrata os serviços de uma namorada de aluguel. O protagonista Kazuya se apaixona pela namorada de aluguel Chizuru, mas no decorrer da história aparece outra menina chamada Ruka que se apaixona pelo protagonista. Ainda estou no nono episódio do anime, portanto não me importa o que venha a ser revelado mais a frente.
Apesar de ser arromântico, curto ver romances (embora eu me irrite bastante com a timidez excessiva dos personagens de anime, mas OK, é uma diferença cultural...). O que me causou desconforto nesse anime foi (alerta de spoiler?) a forte rejeição do protagonista Kazuya em relação a Ruka. Pô, ela é muito atraente – não no nível da namorada de aluguel, mas não fica muito atrás – e verdadeiramente ama o rapaz enquanto o relacionamento com a Chizuru é muito incerto. Sim, como expectadores nós sabemos que a namorada de aluguel Chizuru tem sentimentos pelo Kazuya, mas o protagonista não tem esse conhecimento.
Sei lá, não consigo compreender o Kazuya. No lugar dele, eu firmaria um relacionamento com Ruka, ela é linda, está interessada em mim e aparentemente não possui nenhuns valores que sejam incompatíveis com os meus. Ruka é a escolha mais lógica.
.
Então é isso: pra você que é romântico (“romântico” no sentido de que não é arromântico) a insistência do Kazuya na namorada de aluguel Chizuru lhe parece natural?
submitted by maquinary to sexualidade [link] [comments]


2020.09.09 22:17 BanselSavant A maldição da demissexualidade

Edit: a "namorada" me chutou. A gente ia se encontrar na segunda, adiou, na semana que vem, agora nunca. Depois n querem meu psicológico fodido. Me dispensou pois pretende se mudar pro nordeste e facilitei isso com umas informações que n tinha. Sucesso pra ela, enquanto eu continuo na merda. Nada muda E a outra lá eu chutei. Sanguessuga malvada
Acho que é óbvio o paradoxo, mas quero discutir. Sim, por causa da pornografia, um monte de fetiches e invejas me surgiram, como pegar em festa, ou em público, ou em situações específicas, etc, mas n sei se conseguiria fazer de fato. Sou um fracasso na vida, logo na sexual também. Todo sexo q tive foi pagando e o que foi "na amizade" mesmo pagando foi o único q gostei, justamente pela amizade, pela conexão, pelo gostar da mina. Posso ficar duraço com uma mina que vejo na rua, mas obviamente n poderia chegar ou tentar algo. Essas histórinhas de rolar com desconhecidos deve ser meme ou com sortudo, como uma que a ex (diaba muito diaba) me contou. Conversaram um pouco na piscina do hotel e foram e fizeram no banheiro. Queria muito saber como ele convenceu ela a isso, como ela n se arrepende e tal (n q deva ter motivo de arrependimento. Quero q ela se exploda), como rola essa conexão. Parece q existe palavra mágica. Invejo esses caras q conseguem boquete aleatório de desconhecida, etc. Roteiro de pornô, mas da uma depre pq existe na realidade e queria q rolasse comigo. Diversas vezes fiquei atraído e seria tão massa se rolasse, sem machismo, sem estupro, sem forçação, sem mimimi, só tesão, dois corpos se pegando. Obviamente acho q n sou atraente. Sou estranho, alto, magrelo, desvio os olhos, etc. (Tou melhorando, mas longe de ser um garanhão) Mas convenhamos q muitos feios pegam, que muitas minas só querem o pau e tão nem aí se o cara é casado, santo ou bate na mãe. Muitas tem seu tesão e queria topar com uma que só rolasse e tal. Seria tão massa. Maaaaas eu conseguiria? O pau continuaria duro? Conseguiríamos um posição confortável? São tantas dúvidas e pensamentos q quase piro. Por outro lado, quero a minha gata, passear pelo corpo dela, endeusá-la, ajudá-la a sentir todo prazer possível. Eu sou romântico. Mas parece que romantismo afasta as mulheres. Qual o problema de meter até o talo sim, num banheiro sujo qualquer, mas com carinho? N gosto mesmo da ideia de objetificar, por mais q tenha meus fetiches de dominação. Dominação é objetificar? O que difere uma mina que gosta de ser chamada de puta do cara que chama ela de puta? Ela é um lixo? Ele é um lixo machista? Acho que notaram q tenho dúvidas sobre pessoas em geral. Gostaria de entender, como lidar com as pessoas, como reconhecer que uma mina tá a fim... É meme aquela história (isso é exemplo) do caminhoneiro que mostrou o pau pra filha do dono do posto de gasolina, incentivou ela a entrar na cabine do caminhão, tocar nele, chupar ele, ele depois mandar ela se limpar e n dizer nada a ninguém e ainda ela ainda ter gostado de tudo isso? N que eu queira mostrar o pau por ai, mas já vi tanta história de cara exibicionista que despertou tesão na mina e comeu ela. Ou é tudo meme? Ou acontece mesmo, principalmente nesses interiores de fazenda, região rural e menos urbana ("menos civilizada")? Pessoal, são dúvidas sinceras. Meio que tou namorando agora e tou sem saber lidar com ela. N gooooosto dela, mas n quero perder ela. Eu sei que pareço um canalha que vai usar ela e depois abandonar, mas realmente n quero isso. Se for para deixar ela, ela vai continuar virgem, pq n vou me aproveitar. Já cometi uns erros na vida e minha disciplina está intacta, meu senso de moral engrossou. N é divertido machucar coração. N é divertido fazer mal a alguém. Mas já vi tanta história de casais q de comum acordo desvirginaram, mas n ficaram naquela de ficarem juntos para sempre. Já vi tanta história de nego q comeu e abandonou e a mina continua a vida como se nada tivesse acontecido, n sente raiva dele e tal. Deliberadamente eu casaria sem hesitar com umas meninas específicas, mas n essa "namorada". Moramos perto, mas ainda n nos vimos pessoalmente. Quando acontecer, vou poder estourar ela de beijos (devo, por palavra dela), mas nem pensar muito em algo sexual. Okay dela n daaar no primeiro encontro. Compreensível, mas em algum momento vai rolar. Acho q sinto um medo de ficar preso a ela. Sou muito sentimental e sabem a ex diaba q citei? Diaba pq ela casou e ainda me contata. E ela é de outro estado e nunca nos vimos pessoalmente. Ela me persegue, acho q esperando q eu mande ela tomar no cu e bloqueie. Mas n sou de fazer isso. Tenho raiva dela, mas se eu externar, meu coração q vai sentir e n vou ter um piripaque por causa dela. Mas é notável q ainda sou um pouco preso a ela. N no sentido amoroso ou sexual (quero que ela se exploda²), mas n consigo levantar o dedo para dar fim de vez a esse contato. Sinto q eu perderia algo. Sabem a história dela com o cara na piscina? Consegui arrancar dela indagando sobre tesão feminino, oq no homem atrai a mulher e tal, pois já que ela é mulher experiente e eu preciso de respostas, resolvi tentar aprender um pouco, tirar algum proveito dela, depois dela brincar tanto comigo. Gente, o que eu faço? Tou certo em algo? Tou errado em algo? Em q? Oq faço? N quero machucar ninguém e com essa postura acabei bem machucado pelos anos ae (antes e depois de eu ter cometido os uns erros que citei)
submitted by BanselSavant to sexualidade [link] [comments]


2020.09.04 18:53 IgorCWB EU ACHO QUE SOU VICIADO EM PORNOGRAFIA

Bom antes quando eu era criança, os meus estímulos, minhas curiosidades, parecia ser normal, se eu olhasse uma garota eu tinha vontade sexual por ela, me sentia atraído, ficava excitado, mas no ensino medio, comecei a ouvir meus amigos a falarem sobre masturbação, eu nunca tinha feito nem sabia o que era. Mas nesse período aconteceu algo que me afetou muito, comecei a ter as famosas espinhas, e nao foram poucos, comecei a perceber que na sala todas as meninas gostavam de alguem, mas de mim nao tinha nenhuma, comecei a ficar depressivo, só saia de casa pra ir para a escola, e sabia que n tinha como ter um relacionamento sexual com uma mulher por causa da aparencia com as acnes no rosto, mas eu sentia uma vontade absurda, e para satisfazer a vontade, comecei a ver pornografia, começou em 2011, e cada vez via algo mais pesado, chegou ao ponto de eu nem poder falar e imaginar o que eu buscava quando assistia a tudo isso.
Mas recorri a isso, pq sentia-me rejeitado, e apos passar anos sozinhos, natal, ano novo, nem em balada eu fui, busquei isso cada vez mais. Hoje sou adulto, e quando fui ter a minha primeira relação sexual, nao era aquilo que via na pornografia, e n senti quase vontade nenhuma, até me perguntava pq estar ali, sinto como se tivesse perdido completamente as emoções, estou tentando parar com a pornografia para ver se recupero o meu eu antes de começar tudo isso, hoje ainda quando beijo uma mulher nao sinto nada, nao se parece nada como antes, nao tenho emoção nenhuma, posso ver ela pelada, que n sinto nada, parece q tem algo na minha mente que bloqueia isso, que diz q nao sou capaz, q n vou conseguir, quando eu estava na fase do ensino medio de querer sexo e elas de alguma forma me recussaram, causou um impacto gigantesco em mim, em todos esses anos eu tive que tentar aceitar q nenhuma mulher me queria, tenho ate dificuldade em estar em ambientes com mulheres, pq sinto que estou sendo julgados por elas a todo momento, e parece q n sou o suficiente. Hoje sou um cara bonito e atraente, garotas q eu nunca pensei em pegar, nunca na vida, querem dormir comigo, fazer sexo comigo, mas ai vem a imagem de todos esses anos sozinhos no quarto, sem ninguem, tentando saciar aquilo com a pornografia, pq realmente era a unica forma q tinha, eu juro.
Sinto q tem algo muito errado, ao ver aqueles videos perdi o senso da realidade de uma mulher, parece q virou um objeto. Eu comecei a tentar parar de ver pornografia e masturbação. Espero que isso volte ao normal, comecei em setembro agora, e desejo do fundo do coração sentir o prazer e o tesao que sentia antes de acontecer tudo isso, pq beijar uma mulher e nao sentir mais nada do q sentia, é foda. Valeu.
submitted by IgorCWB to u/IgorCWB [link] [comments]


2020.08.31 02:36 HedgehogFriendly Me ajudem a confortar a dor que sinto

Olá a todos!
Tudo começou quando entrei na universidade em 2018. Lembro que o coordenador do curso me perguntou se eu queria ter aula até quinta feira (1° período é bem fácil em engenharia), obviamente que concordei. Jamais pensei que passaria por um dos maiores sofrimentos da minha vida. Lá estava ela, uma menina linda, juro que tentei, mas não consegui controlar meus sentimentos e logo estava apaixonado por ela. A respeito de mim, sou extremamente tímido, sofro de ansiedade,depressão, não tenho amigos e também sofro de solidão. Por várias vezes tentei estabelecer um contato visual com essa menina, mas sempre com cautela pois sei que não sou nem um pouco atraente e ela nunca me deu atenção, ela sabia que eu gostava dela ou pelo menos acho que sabia. Foi assim durante toda a cadeira de física I, quando eu via ela ficava tão nervoso que ficava sem reação. Não era para ter cultivado isso, só sofri por tudo isso. Uma vez doeu muito em mim, tentei olhar para ela e de forma bastante fria ela me ignorou, foi uma das piores coisas que senti na minha vida, meu coração doeu. Mesmo assim, iludido, tentei fazer algo maluco e criei um Instagram com a minha foto (maior vergonha da minha vida) para tentar seguir ela, mas ela não me aceitou, eu tinha um total de 0 seguidores quando mandei a solicitação kkkkkkkkkk. Depois disso só tive contato com ela na última prova da disciplina, percebi que ela olhava para mim, mas, depois de tudo isso, não consegui olhar para ela (sofro de ansiedade). Nunca mais paguei uma cadeira com ela, mas a primeira vez que ela me viu na universidade depois desse acontecido, colocou um olhar para mim que não consegui identificar, não sei se ela estava com pena de mim ou vontade de chorar, mas era direcionado para mim. Ela me tratou muito mal, eu tinha sentimentos por ela e talvez isso tenha pesado na consciência dela. A segunda vez que ela me viu deu um sorriso para mim, talvez de vergonha alheia. Depois disso não olhou mais para mim. Em nenhuma dessas situações tive coragem de agir depois de tudo que já tinha sofrido, todas as rejeições. Eu continuei gostando dela, por mais que não conseguisse demonstrar. Na metade de 2019 o inferno aconteceu, vi ela namorando com outro cara e fiquei bastante triste, não aguentei e me abri para ela, ela se mostrou compreensiva, deu um sorriso para mim, mas, obviamente, ela já estava namorando. Meu mundo caiu, não por causa de uma rejeição, mas por causa da minha vida porque sou uma pessoa muito triste, desde sempre, nunca tive amigos, é o que eu mais quero para minha vida, ter amigos com quem conversar. Além disso, também sofro de ansiedade social, coloquei na minha cabeça que era uma pessoa normal e tentei mudar, mas foi um desastre, só me machucou. Eu estou muito triste agora neste período de pandemia pois não estou saindo de casa, estou muito para baixo, cada vez mais depressivo, queria desabafar. Minha depressão é algo mais profundo, minha vida não foi e não é fácil, a rejeição é um problema comum para mim porque fui rejeitado pela minha família biológica e sou filho adotivo e por esse motivo tenho tanto medo de ser rejeitado mais uma vez. Me perdoem a ortografia, estou muito ruim no momento.
submitted by HedgehogFriendly to desabafos [link] [comments]


2020.08.24 07:11 aquele_esquisito Me alienei completamente em relação as pessoas (Histórias de Quarentena)

Esse ano tá sendo bem interessante para mim até agora, comecei com 23 anos, virgem, bv, com zero experiências íntimas com mulheres, sem nunca de fato ter valorizado essas aventuras, isto é, nunca ter buscado de fato. Sempre fui no menor número possível de festas, nunca engajei em nenhum tipo de flerte com uma mulher e com isso nunca cheguei perto não só das ppks alheias como não sei o que é amar uma mulher. Basicamente era um incel sem a parte de odiar as mulheres, só a de não ver necessidade em transar mesmo, sem nenhum vitimismo, *quase um assexual que sente vontade física de transar mas não psicológica. *
Pois bem "ano novo, vida nova", pensei comigo mesmo que ia mudar isso, não deve ser tão difícil, ainda sou jovem sem ser garoto demais, quase empregado, não sou horrendo, os anos de academia me transformaram em uma pessoa atraente de corpo e sou absurdamente interessado (quase de maneira autista) em saber das coisas/conceitos/ideias/ciências/formas de arte, me transformando numa máquina de boas conversas por ter assunto pra infinidade de tempo. Por que decidi mudar isso? Literalmente por pensar com o meu pau, depois dos 20 parece que minha libido triplicou e eu não via a hora de finalmente comer alguém. E aí eu ainda caí na isca de "tem mais de 20 e é virgem? teu padrão é muito alto" que me deu um falso senso de segurança, ou seja, fui em todas que deram bola.
Usando tinder já comecei a perceber que ter um grande conhecimento de vários assuntos não significa ter uma boa conversa de bate e pronto, por isso passei uns tempos dando match com qualquer menina (mesmo que longe) só pra treinar o meu gingado na conversa com elas, depois de umas semanas consegui uma melhora boa (e agora quase indo pro fim do ano já me sinto um mestre das conversas) e comecei a de fato marcar encontros.
Pelo tipo de texto que estou escrevendo você pode talvez imaginar um autista metido que se acha o rei da cocada, e é meio assim que eu me sinto comigo mesmo, mas na vida real eu consigo me passar por uma pessoa completamente normal e sociável, o lance é que eu estou fazendo força para isso internamente. Sempre achei isso meio normal porque apesar de ser extremamente introvertido nunca fui tímido e sempre convivi com coletividades de amigos ao longo da minha vida ATÉ a faculdade quando todo mundo foi separando, daí eu tenho um senso de normalidade bastante bem desenvolvido, a partir dai é questão de querer mesmo.
Primeira menina foi logo na época de carnaval (apesar de ter passado longe de blocos), foi com ela que eu perdi o BV de todas maneiras possíveis e desenvolvi mais habilidade com mulheres, saímos durante a semana quase toda (ela era de fora) mas não conseguimos transar por conta de terceiros empacando o bonde (a vontade foi tanta que chegamos a ficar nos esfregando em alguns lugares públicos). Viu? Não foi tão difícil, vou transar bem mais rápido que imaginava, eu só precisava achar alguém que morasse sozinha pra facilitar tudo. O único alerta que essa primeira vez me deu foi que eu não gostei da experiência, e eu to acostumado a não gostar de saídas sociais/fingir ser normal, passo por isso a vida inteira, mas acho que por essa vez ter aprofundado mais na minha intimidade acabei odiando mais do que uma simples ocasião social.
Sai com a segunda um tempo depois e essa era bem mais quieta e tranquila que a primeira, com essa não rolou nada e eu não fiquei tão desconfortável, depois percebi que foi porque foi basicamente um rolê que eu tenho com meus amigos, daí o nível de conforto foi proporcional a isso e não a de ir pra trocar saliva com uma mulher. Essa segunda era espetacularmente linda apesar de não parecer tão interessada como a primeira (que também era bonita!). A partir daí eu percebi que tava fácil demais e decidi tentar ser mais criterioso a fim de achar uma mulher bonita que fosse transar comigo sem as frescuras sociais, porque meu pau tava mandando em mim.
Enfim, achei uma mina com 28 anos que tava querendo, marquei um pouco antes das minhas aulas começarem mas tive que dar uma adiada por um problema, porém o encontro nunca de fato aconteceu pois por ironia divina, o corona estourou e a pandemia começou. A partir daí vou dar uma acelerada na história, pois desse início de março até hoje continuei acessando o tinder assiduamente quase como um vício de autoestima com a desculpa de treinar meu papo com mulheres, e sem intenção de quebrar a quarentena.
Fiz todos tipos de perfil possível (pedindo sexo na bio, super fofo, esquisito, descolado...) e dei match com todo tipo de mulher possível, tive várias conversas a ponto da minha habilidade social ter crescido bastante, porém acabei chegando no ponto de saturação mais que completa. Lembra quando eu disse que ia ser mais criterioso? Isso subiu absurdamente a minha cabeça a ponto de eu literalmente achar todas as mulheres do app feias ou indesejáveis de alguma forma, antes eu literalmente tinha uma certa luxúria por quase todas porém isso foi morrendo com as conversas. Porque eu começava a conversar no meu modo ultra social (quase um superego em esteroides) e levava uma conversa foda em vários lugares imagináveis, conseguia colocar as minas fissuradas em continuar a conversar comigo, me chamar pra conversar tomando iniciativa e tudo mais. Mas aí eu percebi que comecei a odiar as conversas, porque a dura realidade é que nenhuma mulher passa um tempo psicopata aprendendo a conversar com homens no tinder pra ter a conversa perfeita.
Isto é, apesar de eu tomar a dianteira, as conversas para mim começaram a ser absurdamente horríveis e pouco proveitosas, porque as mulheres em geral são seres humanos normais, que em sua maioria são completamente entediados consigo mesmo e desinteressantes. Deixou de ser sobre conquistar as meninas com a lábia das palavras para "Quero uma conversa interessante pra mim", e obviamente não encontrei ainda uma menina psicopata ao ponto de seguir o guia que eu descrevi, mesmo as boas de conversa batiam no meu ego me dizendo "nossa, se eu consegui isso com essa, talvez eu consiga algo melhor". Até agora eu consegui umas 5 meninas a tentarem me convencer a quebrar a quarentena com elas.
Olha a merda no que eu me tornei, esses últimos parágrafos são estreitamente das profundezas da minha mente, onde eu comecei a levar essas conversas de merda e encontros como achievements sociais. Que foi de certa forma como eu abordei tudo isso no começo sem perceber, quero transar porque sim, meu pau me ordena, quero perder o BV para poder falar livremente com as pessoas que eu já beijei (não gosto de mentir sobre isso e sempre admito o que sou sem vergonha quando o assunto surge em conversa com amigos) e não sou um completo inapto social por tentar e ser rejeitado. Finalmente me encontrei numa posição de poder e comecei a usar isso pra aumentar o ego pura e simplesmente, fui me tornando uma mina aleatória de only fan que coleciona macho que paga tudo pra ela (famosos simps).
"Nossa, que fanfic de adolescente retardado" pode passar pela sua mente, pois bem, a dose de realidade chegou para mim, porque apesar de não ser horrendo eu não sou nenhum modelo, então teve uma hora que eu basicamente bati no meu limite de beleza no tinder e a atenção que eu tava recebendo secou completamente. Comecei aceitando qualquer uma com um perfil super amigável e convidativo, pra aceitar até umas meninas que considero meio feias com um perfil mais interessante, pra começar a encontrar com meninas regulares/do meu nível pra até algumas mais bonitas com um perfil super esquisito (pra filtrar tipos de menina que eu não queria), e aí eu estagnei, ainda to um pouco longe do topo da pirâmide mais fui um pouco mais longe do que imaginava. Fui de perdedor de boas, para perdedor com um falso senso de poder, para perdedor carente que tentou voar muito perto do sol, tudo isso também por não gostar da ideia de correr atrás de mulher, parto do princípio que se a mina não tiver iniciativa pra vir falar comigo é porque pra ela não tem nada ali e já descarto de cara.
Eu basicamente sinto que estou passando, ao longo dos últimos anos, por um processo de alienação completo de relações sociais à lá ted kaczynski, e eu sinto que essa era uma das últimas barreiras que eu tinha pra quebrar: a do sexo oposto. Já tinha normalizado na minha cabeça a minha própria desumanização e completa insignificância, pra estender isso pra colegas/amigos/parentes, e finalmente sinto que estou me descolando do tecido dos relacionamentos, ou de mulheres no geral. O que eu achei mais perceptível desse processo foi que o meu "pensar com o pau" meio que se tornou temporário, antes eu poderia ter me masturbado ou não e ainda havia um certo desejo por mulheres, agora eu sinto que sou uma pessoa quando estou com tesão e quando não estou mais simplesmente volto a não dar a mínima pra estar com uma mulher (eu já não ligava pro aspecto de companhia da relação, agora então o sexual parece ter ido embora também assim que esvazio o saco), inclusive com algumas dessas meninas que encontrei cheguei a fazer chamadas pra ficar me masturbando e é mata conversa na certa, porque o meu tesão acumulado por aquela pessoa desaparece da face da terra com uma gozada e eu não consigo nem mais falar com ela. Não sei se já estou estragado pro sexo, porque tenho certeza que depois de transar o meu desejo vai ser ficar sozinho comendo uma pizza e ouvindo música.
Pra quem for comentar em nofap e parar de ver pornô, eu não me masturbo com tanta frequência ao longo do ano, inclusive já fiz no fap de 3 meses duas vezes (outra isca que não serve pra muita coisa), também quase não consumo pornô, minha libido é muito errática com a masturbação, posso passar um tempo me masturbando 3-4 vezes por mês (tendo muita ocupação e coisas pra resolver) para chegar uma sequência de três dias de vagabundo e me masturbar 4-5 vezes por dia, quantificando num ano passo longe de vício por punheta ou pornô.
O mais engraçado da história toda é que todo esse processo aconteceu com auxílio do isolamento físico da quarentena que me possibilitou a chegar nesse ponto de alienação sem nem transar ainda. To quase me sentindo como o androide no fim do Ex-Machina que vai pra sociedade viver como uma pessoa normal, visto que to bem perto de finalizar a faculdade, vou tentar arranjar um emprego, morar sozinho, e finalmente virar um adulto de fato, a única coisa que eu tava sentindo dever nesse quesito de amadurecimento era a parte de relacionamento, principalmente o sexo porque de fato eu nunca tive interesse em montar família com casamento/filho/cachorro/gato, nem a ideia de namorar me atraia já bem novinho justamente por desgostar dessa ideia do companheirismo, minha última esperança era transar, mas isso eu acho que nem faço mais questão de concretizar.
submitted by aquele_esquisito to desabafos [link] [comments]


2020.08.18 01:59 EuRoddy Sou rejeitado por ser fora dos padrões

Amigos, preciso de ajuda.
Sou homem, carioca, tenho 28 anos, sou negro e gay. Embora eu seja uma pessoa normal, não tenho traços bonitos, meu rosto é coberto de cicatrizes e manchas de acne e foliculite, sou alto e desengonçado e sempre tive dificuldade em ganhar peso. Ou seja, sou feio. Talvez isso não seria um problema se minha vida não fosse tão triste...
Desde muito pequeno, sempre soube que era diferente. Embora gostasse de "coisas de menino", sempre percebi que a figura masculina me atraia muito mais que a feminina. Mas, por conta do enorme preconceito do ambiente familiar e na escola, tentei, por muitos e muitos anos, refrear qualquer tipo de sentimento homoafetivo. Sempre busquei me aproximar dos homens apenas como forma de amizade. Felizmente, pude ter alguns amigos ao longo dos ensinos fundamental, médio e superior. Apesar disso, o bullying foi uma constante na minha vida. Sempre fui humilhado, ridicularizado e até agredido fisicamente na minha infância e adolescência por ser um menino sensível, péssimo nos esportes e, sim, feio. Não bastasse a humilhação por parte dos meninos, também era rejeitado por muitas meninas. Na minha tentativa fracassada de tentar ser hétero, acumulei apenas frustrações. Conclusão: terminei o ensino médio, com 17 anos sem sequer ter beijado na boca.
Entre 2010 e início de 2012, passei um dos períodos mais solitários da minha vida. E foi nesse período que minha saúde mental piorou. Ao ter meu primeiro contato com a pornografia gay, me dei conta de que por mais que tentasse, era impossível mudar a minha natureza. Ou seja, eu era gay e teria que me conformar. Porém, logo me dei conta de que ser gay não seria fácil. Além de ter a certeza de que jamais poderia me assumir por conta da religião da minha família, me dei conta de que o meio gay tem um gosto em que não me encaixava: homens brancos, musculosos e bonitos. Exatamente o contrário do que sou.
Quando comecei a faculdade, felizmente encontrei um ambiente diferente de tudo que até então tinha experimentado. Mantendo minha sexualidade escondida, fiz amizades, fui respeitado, saí, me diverti. Porém, faltava algo. Nunca havia namorado. Sequer tinha ficado com alguém. Estava eu com 23 anos sem sequer saber o que era tocar em uma pessoa. Até que, por influencia de amigos, cometi um dos piores erros da minha vida. Tentei namorar uma amiga, a única pessoa que, até então, demonstrou abertamente ter gostado de mim como homem. Meu desespero em me sentir uma pessoa normal falou mais alto, e eu investi nesse relacionamento desde o princípio fadado ao fracasso. Foi nela em quem dei meu primeiro beijo. Mas foi só isso. Embora eu tentasse, não sentia atração sexual por ela. Por mais carinhosa que fosse, eu sabia que não era aquilo que eu queria pra mim. Mas eu não poderia dizer porque tinha vergonha e medo demais para assumir que era gay. Até que um dia, tivemos uma discussão por conta de um amigo que ela não gostava e nossa tentativa de ficada acabou poucos meses depois. Pelo menos eu saí da faculdade tendo beijado na boca. Mas ainda virgem. Aos 25 anos...
O tempo passa. Me limito a saciar minha sexualidade com pornografia e masturbação. Mas só quando dava, porque dividia o quarto com meu irmão. Em 2018 entro no mestrado. Pouco mais de um ano depois, começo a escrever minha dissertação, termino meu estágio numa boa empresa e agora tenho tempo de sobra pra ficar em casa. E foi aí que a coisa piorou mais ainda. Novamente solitário, vieram a ansiedade e os sintomas de depressão. Não tinha ânimo para nada, sentia apenas o desespero por viver uma vida de merda, sem emprego, fazendo algo que detestava, e sem nunca ter tido a oportunidade de ser quem eu realmente era. Até que, decido a finalmente viver minha sexualidade, criei uma conta em um app de encontros gay, o Grindr. Tentando ter minha primeira experiência sexual, já aos 27 anos, acabei dando de cara com outra realidade: a do preconceito no mundo gay. Sendo negro, pobre, magro e fora de qualquer ideal estético, só encontrei mais rejeição. Algumas poucas e raríssimas vezes, tive momentos de felicidade ao não ser bloqueado por alguns caras, a maioria desses apenas por causa do meu pênis, certamente a minha única qualidade reconhecida pelos gays. Por quatro meses, busquei me relacionar com alguém, sem nenhum êxito. Até que em 4 de março desse ano, tive a chance que mais queria. Perder a virgindade. Mas o que parecia bom, foi na verdade uma das piores sensações da minha vida. Ao chegar na casa do rapaz, que morava a uns 500m da minha casa, me foi dado apenas o direito de fazer sexo oral e receber o esperma dele. Migalhando um pouco de prazer, me arrisquei fazendo sexo sem camisinha com um cara que nunca tinha visto na vida. Não rolou beijo, não rolou conversa, não rolou carinho. Apenas tive 10 minutos de sexo e fui pra casa. Uma semana depois, conheci outro cara, de 38 anos, lindo. Definitivamente a melhor coisa que poderia acontecer. Quando nos encontramos, ele pegou na minha mão, conversou comigo e me deixou à vontade. E transamos. Ou melhor, tentamos. Dessa vez, a minha total inexperiência me brochou. Ele gozou, eu não. Aliás, também não gozei na minha primeira transa. Perguntei a esse cara se eu o tinha decepcionado, ele disse que não, que deu errado pelo nervosismo. Acreditei nisso. Até que um dia, ele me chamou para ir à casa dele, à noite. Por medo de dar errado de novo, e pra não gerar desconfiança em casa, não fui. E o cara que eu achei compreensivo, e o primeiro homem que beijei, aos 27 anos, passou a me ignorar. Semana passada, tive uma das piores crises de ansiedade que já senti. Chorei de domingo a sexta. Tentando me aproximar dele de novo, pedi sua ajuda. Disse que estava me sentindo mal. Perguntei a ele se ele tinha me achado realmente atraente, se ele sentiu tesão em mim. Ele disse que iria responder, que estava digitando e que mandaria a resposta quando pudesse. Até agora nenhuma resposta. Me senti rejeitado de novo. Mas nada está ruim que não possa piorar...
Continuando minha busca por viver minha sexualidade, encontro cada vez mais nãos. Quando inicio uma conversa enfiando foto, sou bloqueado. E nas situações em que a conversa passa do oi, todo interesse do outro lado acaba quando mostro meu rosto e meu corpo. Cada vez mais minha autoestima diminui. Me sinto um lixo. Desde janeiro faço academia, já ganhei peso (embora ainda magro), tenho cuidado da pele do rosto e já até adotei um penteado mais moderno, mas tudo que eu tento fazer para ser alguém atraente de nada adianta. Sou preterido por ser fora dos padrões. Me sinto feliz por saber que ao menos uma vez pude beijar e me relacionar com alguém. Mas a certeza de que dificilmente irei encontrar alguém com quem possa dividir bons momentos me entristece demais. Aos 28 anos, nunca namorei. Nunca soube o que é me apaixonar. Não sei o que é sair com um namorado. Não sei o que é ser amado. E por mais que eu tente ser bom nas outras áreas da minha, a solidão é dolorosa demais. Sinto vontade de morrer. Minha comunidade me rejeita.
Sou infeliz.
submitted by EuRoddy to desabafos [link] [comments]


2020.07.14 16:30 galoccego Relato de um ex-barman

ESSE RELATO NÃO É MEU, ENCONTREI NO FACE E COMO ACHEI MUITO INTERESSANTE DECIDI TRAZER PARA O REDDIT.
Relato da internet: Parte 1 Já trabalhei como barman e observando bastante a vida dos que estavam do outro lado do balcão, tudo o que já falaram é verdade.
Entradas para as mulheres são sempre cortesias. Os homens pagam caro. E não se enganem achando que as mulheres não pagam a entrada, quem paga são os homens. Se a entrada na noite custa R$ 30,00 pra um homem, a verdade é que é R$ 15,00 masc(a dele). e R$ 15,00 femin(de alguma menina que entrou "free"). Os donos de bares jamais levam prejuízos e nada é de graça. No bar que eu trabalhava, o dono fazia "descontos" para os amigos, e usava esse argumento.
Nos bares sempre tem as bebidas originais bem guardadas, que são destinadas aos Vips. Geralmente, os alfa$. Os ricos chegam, as bebidas de qualidade vão todos para eles, e pegam mulher com o rodo. Já os pobres coitados que não são ricos, consomem bebidas falsificadas e não pegam ninguém.
Nesses lugares, o que mais vi mandar em tudo é o dinheiro. Quanto mais rico o cara for, mais mulher ele consegue. E nunca vi um alfa físico sair ganhando de um rico. A ordem de prevalências pelo que já constatei é:
  1. Ricos.
  2. Caras que tem o shape massa.
O resto nem entra, porque gordos, magrelos, baixos, pobres, etc, só levam prejuízo na balada. Prejuízo financeiro e EMOCIONAL. Quando conseguem alguma coisa, é no final da noite com alguma feínha que foi rejeitada pelos alfas. Quando a balada está terminando, e aquelas meninas que foram rejeitadas pelos alfas estão voltando para casa chateadas com a vida, é onde os zé ninguéns conseguem alguém. A única chance para o cara mediano na balada conseguir alguma coisa, é no fim dela. Pois mesmo uma vilena numa balada se sente uma rainha, e despreza todo mundo, com um ego gigantesco. Elas fazem isso porque se acham dignas apenas dos alfas. Mas quando os alfas as dispensam e a rejeitam porque acharam outra mulher mais atraente, é um tiro bem no meio do ego dela, pois ela passou a festa inteira dispensando os medianos porque se achava digna apenas do alfa, e agora no final ela vai embora sozinha sem ninguém? Aqui é onde o emocional está fragilizado e onde o homem mediano terá mais chances de conseguir alguma coisa com uma menina mediana ou feia. As bonitas, esqueçam. Não tem nem como se você não for alfa.
Se a intenção é pegar mulher, se for ao puteiro gastará bem menos financeiramente, não terá desgaste emocional, e o risco de pegar DST é o mesmo da mulher baladeira. Se brincar, é até menor. Se não for rico, beberá bebidas falsas, terá prejuízo, e saíra com o emocional destruído de lá, achando que o problema do mundo não te aceitar e te enxergar é seu.
Já vi muitos clientes homens medianos, indo pagar sua conta cabisbaixo, sem graças, com dois ou três amigos tudo desanimado porque vão embora sozinhos dentro um carro. E outros fingindo que só foram na balada pra curtir, que embora não tenham pegado ninguém, se divertiram e etc. O que é mito.
E tem um monte de mulher que paga de santinha falando que vai só pra curtir e ver o Dj, ou porque gosta de tal banda e etc, mas vai só pra dar toco. Não gostam de transar, não gostam de beber, não gostam de nada, só de se sentirem poderosas. Até os alfas penam nas mãos dessas mulheres em baladas.
Em baladas, o único que ganha realmente é o dono da boate. Pois ele ganhou um lucro exorbitante nas bebidas que vendeu(porque TODAS as bebidas são compradas a preço de banana, se você paga R$ 250,00 numa garrafa de whisky, pode ter certeza que ela foi comprada por R$60,00 no máximo, e se for falso, R$ 20,00 ou 30,00). Para constatar isso do preço, é bem simples, vá um supermercado e olhe o preço da garrafa. Depois divida ele por 2. E compare com o preço que você pagou na boate. No bar que trabalhei, compravam latinhas de Antartica por R$ 1,45 no próprio supermercado, e revendiam a R$ 5,50. Quando compravamos direto da Ambev, havia longneck que pagamos 0,90c a unidade, e revendiamos a R$ 6,00 ou R$ 7,00. O dono sempre tem mulher no pé dele, e mulher top. Ele nunca fica "desamparado sexualmente". O status do cara de ser dono de uma boate, desbanca todos os alfas.
Na minha opinião boate é um prejuízo de todas as formas possíveis, exceto para o dono. Mesmo para os alfas e ricos, é um prejuízo tanto financeiro como emocional. Pois você continua pagando pra comer a menina e se desgatando emocional fingindo interesse, competindo com outros machos e etc., mas eles não ligam, né?
Parte 2 Baladas é tanto o puteiro para mulheres, como disseram, como também é armadilha para bobos. É bom mostrar os outros aspectos que prejudica o homem, não sendo só as mulheres, para que possam ficar alertas. Todos os panfletos, as propagandas, as pulseiras de camarote, os copos e bonés e outros brindes... Tudo isso é friamente pensado pelos organizadores da festa para vender uma ilusão enorme, de tal forma que faça o nerd jogador de minecraft sentir vontade de sair de casa e ir lá e gastar seu dinheiro achando que vai se dar bem, de fazer a mais alta piranha sonhar que vai encontrar o Eike Batista dela lá dentro. Observem bem na cidade de vocês como são as propagandas, se você esquecer seu bom senso um pouquinho, você vai cair no conto de que balada é o melhor lugar para ir e ser feliz.
Por trás dos autofalantes, dos graves, do neon, daquelas pessoas fingindo ser felizes, está um máquina pronta pra sugar seu dinheiro. A intenção é sempre pegar o dinheiro do homem. É por isso que eles também lotam de mulheres, quanto mais cheio de mulher um lugar estiver, mais homem disposto a perder tudo o que tem. Mulheres são as iscas, a massa de manobra, para juntar homens fracos emocionalmente e sugarem seu dinheiro. Em uma análise bronca, pode-se dizer que boate é uma das coisas mais anti-homem já criadas. Porque ela nunca prejudica as mulheres de fato, somente homens. Pois mesmo as mulheres sendo apenas iscas, elas ganham emocionalmente e ganham a chance de encontrar um bobo para ser provedor (e acreditem, tem muito playboy que assume uma bomba dessa).
E depois que o camarada entra lá dentro, ele vai ser vampirizado financeiramente o quando puder. A vampirização emocional é só a consequência de ser bobo. Eu mesmo comprava maços de Carlton por R$ 6,50, e vendia cada cigarro picado por R$ 2,00. Eu ganhava em torno de R$ 30,00 por maço, pois na boate não era permitido vender e fumar, mas o cigarro é um símbolo de status que todo mundo lá dentro quer, até quem não fuma quer fumar pra poder ser notado, e quem se aproveitar disso... Será que é errado? Não sei. Eu fazia. Sei que quando meus maços acabavam, os caras ficavam tão fissurados que saíam da boate, iam até os postos de combustíveis, compram cigarro e voltavam. Só pra poder senta na mesa fumando. E a mesma lógica vale também as drogas ilicitas (que eu não vendia, mas quem vendia ganhava uma puta grana).
O ambiente geralmente é tão baixo, que as pessoas que estão no camarote, com pulserinha e copo estilizados por exemplo, esnobam as pessoas que estão na pista. Mulher então? Elas faziam questão de mostrar que são apenas para os vips lá de cima. As mulheres quando sobem para os andares superiores, elas se sentem como verdadeiras deusas. E falo isso porque, eu trabalhei no bar de camarote, e minha função era apenas preparar coqueteis e servir bebidas, nada mais e também não abria nenhuma exceção pra favorzinho. E ouvia muitos sapos de mulheres dizendo que estudam medicina ou direito, que estavam acompanhadas de fulano de tal, que eu tinha que fazer o que eles mandavam... E eu nunca fazia. Só me restringia ao bar. Já tive que chamar segurança pra me defender porque os ricões, além de bobos, ainda queriam pagar de machões e iam lá tirar satisfação do porque não levei algo para a mesa deles etc, sendo que tinha garçom pra isso. Alias, os garçons... Pobres coitados! Eram o que mais sofriam. Raramente eu trabalhei com o mesmo garçom por mais de dois meses, eles não aguentam. Eles chegam na mesa e são ridicularizados, pelos homens que querem bancar os machoes e pelas mulheres que sentem poderosas. É realmente um trabalho de cão. A maioria dos garçons(e barmans) eram estudantes, caras feios, magros, precisavam de um dinheiro extra, e faziam esses bicos. E quando topavam de servir uma mesa cheio de caras ricos, mulheres bonitas e etc... Puts. Dava dó. Eram motivo de piadas. Você via nitidamente o emocional dos caras destruídos. Tinha que ter um emocional muito forte pra aguentar aquilo sem esmorecer. As mulheres sentiam um prazer enorme em ver outros caras pisando no pobre coitado que estava servindo elas, elas se sentiam, de verdade, deusas. Eu aposto que elas gozavam quando debochavam dos outros.
E, também, boate é um ambiente muito inseguro. Além das brigas constantes que sempre acontecem, quase dono nenhum gasta dinheiro investindo na segurança da infraestrutura, porque eles pensam que nunca vai acontecer nada na boate deles.
Parte3
Sobre DSTs, era prache eu ouvir comentários de fulanas e ciclanas que tinham herpes na xota. Com tempo você vai pegando amizade com alguns caras, seguranças, e as fofocas correm. Mulheres bonitas, que só frequentam camarote e só andam com os ricões e esnobavam todo mundo, tinham histórias muito cabulosas. Tinha menina que eles falavam pra não deixar ela nem fazer boquete porque senão o pau pegava carie. Meninas que todo matrixiano JAMAIS pensaria que fosse tão nojenta. E são essas meninas que vão se casar aos 30 anos com um bobo matrixiano que jamais vai saber do passado negro dela. Já vi alguns casais por aqui, um cara gente fina, que mal saia de casa, junto com uma menina que era verdadeiro carrapato de boate. E quando elas reconhecem a gente na rua, abaixam os olhos, ficam com medo da gente ser amigo do namorado dela e contar as coisas que viamos.
Mals o textão. Mas pra quem teve saco e quis ler, fica o relato. Se eu contar todas as histórias escabrosas que já vi e ouvi, do que a gente faz nas boates com as bebidas, enfim, é de doer os olhos. Mas tem gente que apanha e apanha e continua indo. Tenho amigos que diz que exagero muito, que eu sou revoltado e etc. Mas, as pessoas são como animais criados pro abate, são influenciados pela propaganda, sempre vão, se dão mal, passam mal, mas acordam no outro dia crente que o próximo final de semana será diferente. Enquanto isso vão só perdendo dinheiro e tempo.
Eu não recomendo o cara nem ir a um pub bem light. Embora não sejam um ambiente tão fútil e banal como é a boate, acontecem as mesmas coisas, mas apenas em menor escala e mais discretamente. Se a intenção é beber com os amigos, descontrair e relaxar, é melhor queimar uma carne em casa e comprar bebidas por conta, por exemplo. Pelo menos é minha opinião. Para conhecer mulheres: não faça isso, meu amigo. É tiro no pé.
Talvez alguém pense que essas coisas são exageros, mas é a minha conclusão da minha experiência pessoal enquanto fiz bicos de barman. E quando falo barman, esqueçam aquele esteriotipo de cara fortão, bonito que usa uma gravata borboleta no pescoço, na maioria dos casos é só gente normal fazendo bico. Esses "showmans" são outra parte da história que tem bastante privilégios por serem alfas. Eu não fazia parte dessa categoria. Pra eles as boates devem ser boas. Não era para mim porque eu sou um cara normal, e talvez por isso até pareça um butthurt. Mas é só um relato que espero que sirva de alerta. Hehe
Parte 4 Obrigado pelas boas vindas, pessoal!
Então... Sobre as histórias cabulosas, vou começar contando as profissionais. Claro que existe boates exceções assim como mulheres (será? ), mas... Enfim. Eu também não trabalhei em clubes de tão alto padrão assim, quando eu falo que era clubes pra quem tinha dinheiro, é porque as coisas eram muito caras. Mas, não é nada comparado a uma boate grande e famosa. hehe
Começando pelas bebidas, coisas que barmans geralmente são obrigados a fazer:
- A maioria das pessoas não bebem as cervejas completamente, pois elas esquentam rápido na mão, e sempre volta pro bar ou fica espalhado pelo lugar longnecks pela metade. No final da festa, alguns barmans despejam toda essa sobra de cerveja num balde, enfileira as longnecks e coloca funis nos gargalos, e sai enchendo elas tudo novamente. Depois colocam a tampinha e botam pra gelar. As cervejas, lógicamente, vão ficar chocas. Por isso só devem começar a servidas após 2h da manhã, por exemplo. Onde a maioria já se encontra bêbada e qualquer coisa que consumir está gostoso. Como os barmans, por cortesia, sempre abrem as longnecks para os clientes, eles nunca desconfiam das tampas frouxas. Não fiz muito isso, mas já trabalhei em um local e uma festa ao ar livre que fez. Não era prática diária comigo.
- Os sucos naturais, não são naturais. Muita gente pagava o preço por um coquetel feito com o suco da laranja exprimida na hora, mas tudo era somente suco de saquinho(tang ou o mais barato que tiver) batido no liquidificador. Ele fica consistente e espumoso como um suco da fruta. Restaurantes também fazem essa jogada. Um copo de suco "natural" de 200ml era R$ 4,50, por exemplo. O saquinho tang que fazia 1l no liquidificador era 1 e pouco.
- As tequilas sempre saíam em dose, e as garrafas sempre ficam com o barman. Reaproveitamos sempre a mesma garrafa, enchíamos ela um pouco menos da metade de whisky vagabundo ou falsificado, e completávamos com pinga vagabunda. Sacudiamos e vu a la! Tinhamos uma tequila ouro José Cuervo. Como a maioria das pessoas não conhece gosto de nada, pagam R$ 15,00 numa dose de 50ml que custou apenas, no máximo, R$ 5,00 pra fazer. E pior: muitos ainda elogiavam. xD
- Tinhamos um tónel, que se dizia vender cachaça artesanal. Cada dose de 50ml era R$ 6,00. Mas sabe o que tinha lá dentro? Pinga barata de R$ 3,00 o litro. Aquelas 51, 21, 31...
- Os whiskys que servíamos no bar, sempre eram tretas. Muitas vezes a gente fazia aquele lance de encher a garrafa de coca-cola com whisky barato e acoplar ela na boca de uma garrafa de Red Label e mandar o o whisky vagabundo pra lá. Essas geralmente são as que ficam penduradas no dosador de garrafa invertido. Numa festa com umas 3 ou 4 caixas de whisky, tinha no máximo 3 ou 4 garrafas realmente originais, guardadas para os magnatas.
- Quase sempre a gente recebia ordens pra marcar coisa a mais na comada do cliente, se ele parecesse que estivesse muito bêbado. Quando eles iam pagar, sempre ficavam muito putos com as meninas que trabalhavam no caixa, mas, então o gerente jogava aquela onda de que ele emprestou a comanda pra alguma mulher, que ele não lembra, se a coisa aperta muito já vinhas os seguranças intimidar, no final o cara sempre pagava. Não tinha jeito.
- As porções nunca jogavam fora. Já vi cozinheira tirando cinzas de cigarro de um resto de porção de batata e guardando as batatas pra usar com outra pessoa que comprava porção.
Tomem bastante cuidado, porque vocês nunca vão saber o que realmente estão consumindo. Isso não vale só pra boate, vale pra restaurante, lanchonete, casa da vó etc.
Também existia alguns esquemas de lavagem de dinheiro, eu não sabia muito sobre isso, só ouvia a respeito. Mas alguns eventos em fazendas particulares, reunia bastante magnata e alguns amigos afirmavam que rolava um esquema de lavar dinheiro tenebroso. E que muitas boates são usadas pra isso. Sobre isso não posso afirmar com certeza, isso foi só um boato que eu ouvia e acreditava, por tudo o que eu já presenciei lá.
Para atrair homens para festa, o promoter dava brindes, cortesias e até dinheiro pra algum grupo de meninas fazer volume na porta da boate. Já dava as instruções para elas irem super maquiadas, roupas curtas e ficarem bem visíveis. A panfletagem nas ruas e nas faculdades, era sempre feito por meninas bonitas e com roupas curtas. O próprio promoter que cuidava da casa, fazia uma propaganda ferrenha no Facebook. Pra cada 5 mulheres que ele marcava no post, ele marcava 1 homem, por exemplo. E pedia pras meninas confirmarem presença no evento divulgado no Facebook. Tudo isso pra dar a impressão que naquela festa tem mais mulher do que homem.
Parte 5 Então, o homem escravogina, solitário e carente, via aquele harém pela baguetala de R$ 30,00 o ingresso... Era casa cheia na certa. Uma vez lá dentro, o cara até parcela a consumação no cartão de crédito. A maior dificuldade é sempre fazer o homem entrar na boate, porque depois que está lá dentro, já era.
Um pouco do lado obscuro:
As mulheres nunca me cantaram no balcão com um real interesse em mim. Geralmente, aparecia uma mediana que estava de favor na festa, jogar um charme pra tentar descolar um drink de graça. Como eu não dava, saíam nervosas e davam chiliques. Mas alguns colegas davam, e só ganhavam um sorrisinho de volta e a menina nem voltava mais no bar, senão pra tentar pegar outro drink na faixa. Mas para meus colegas, aquele sorrisinho era sinônimo de um casamento. kkkkk
Elas sempre pediam para o acompanhante delas levantar e buscar bebida no bar, jamais ela ia sozinha ou ia junto com ele. E nesses momentos, esses prazos de 5 e 10 min, é onde ela flertava com muitos outros homens. O cara saia da mesa para buscar mais bebida para ela, e ela levava aquelas bulinadas do cafa de leve, pra elas era como se estivessem numa sauna greco-romana.
Banheiro de deficiente físico sempre foi usado como quarto de sexo. Isso era unânime em todas casas que trabalhei e eventos que fiz, era só jogar um "café" na mão do segurança, que o próprio segurança vigiava a porta pra não deixar ninguém interromper a trepada. Aqui era onde muito cara com físico bom e pouca grana, algumas vezes ganhava a noite. Ele não precisava de carro, nem de levar no motel, nem nada, torava a menina na lá no banheiro e só dava uma gorjeta pro segurança. Havia vezes que garotas de programas trabalhavam discretamente nos eventos, em parceria com os seguranças. Elas davam uma grana pra eles, e ela fazia o trabalho. A mesma menina, que nem parecia puta, ás vezes transava com 3 ou 4 cara na mesma noite, sem ninguém nem desconfiar que rolava uma fita dessa lá dentro. Mas como nada fica discreto pra sempre, começou querer haver CONCORRÊNCIA, outras meninas também queriam, e aí começou virar bagunça até que o dono deu um jeito de cortar ameaçando os seguranças de demissão.
Muita gente FINGIA ficar bêbada pra ter desculpas para fazer merda. Isso eu via muito, e a maioria sempre era mulheres. Elas subiam na mesa, faziam danças sensuais, ligavam para ex, pegava no pinto do caras, traiam os namorados, enfim, fingindo completamente que estavam bêbadas. Eu sabia que era fingimento, porque eu tinha um certo controle de quem bebia no bar, dava pra saber o quanto a pessoa consumiu e tinha menina que tomava duas cervejas e começava a fazer merdas, só pra ter um monte de cara endeusando elas e poder fazer uma putaria "sem culpa". E quem fica bêbado com duas cervejas? Mas tinha muito idiota que caía.
Certa vez, trabalhei em um evento que veio uma Dj que era da Espanha, senão me engano. Não lembro o nome, mas era uma menina baixinha com trejeitos de sapatão, cabelos raspados do lado e tranças onde tinha cabelo. Quem é mais ligado em música eletrônica deve saber o nome, eu não lembro. (Ela é aquele tipo de dj desconhecido no país onde mora, mas quando vem pro Brasil, faz sucesso, porque brasileiro é lambe-saco de gringo.) Eu sei que foi um evento que todo mundo quis ir, mas o lugar estava lotado, ingressos caros e etc. Havia uma menina que estava lá dentro, mas queria passar mais cinco amigas pra dentro da festa na faixa. O segurança não deixava. Até que uma delas ofereceu um boquete pra ele. Não foi nem o cara que pediu. A própria menina ofereceu. Obviamente, ele não recusou. Deram um jeito de ir pro estacionamento da fazenda e mandou ver. Entrou as cincos. Depois vi essa mesma menina beijando um playboy na mesma festa, o que me embrulhou o estômago. E com o tempo, ela foi ganhando fama de boqueteira entre os seguranças, então toda festa grande, os caras quase saiam no tapa pra decidir quem ia ficar na portaria, porque já sabiam que ela ia aparecer por ali. Afinal, ela não tinha grana e não tinha jeito de entrar, mas queria estar no meio dos playboys. E ela virou figurinha marcada mas depois sumiu. Um belo dia, num pubzinho, eu tava na porta conversando com os seguranças, ela me desce do carro de mãos dadas com um playboy. O segurança cumprimentou ela, e ela fingiu que não conhecia(sendo que ela tinha um passado negro com ele). Cumprimentou apenas o dono do pub e falou que agora estava noiva do fulano de tal. O cara tinha grana, a julgar pelo carro que ele tinha na época. E depois nunca mais víamos ela nas festa, e quando ia, ia acompanhada dele.
Que fique claro que não estou querendo criar ódio por boates, é só um relato do que vivenciei. O cara que quiser ir, não se prenda no que eu falo não, só fique atento. Hehe
Parte 6 Fico feliz em saber que tem alguma utilidade minhas observações. É impressionante o que você enxerga por trás das coisas somente observando. Nem precisa ser clarividente. hehe
Com o decorrer do tempo vou dando um up aqui com as histórias banais.
Mas acho que o mais importante que eu queria ter compartilhado com vocês a respeito das boates, era a questão de como fraudávamos bebidas. Porque isso é algo que prejudica a saúde dos consumidores a longo prazo, e além de pagar caro por algo que você nem sabe o que é. É algo que me arrependo de ter feito, embora fosse meu trabalho, então eu sempre tento alertar as pessoas que vão em boates para ficar espertas nesse sentido.
As histórias das perícias femininas são coisas bem baixas, praticamente histórias de filmes pornôs. Mas nada diferente do que acontece fora da boate, também.
Eu achava mais interessante o comportamento masculino do que o feminino, e aprendi muito observando caras que estavam caídos, usando a tal lógica reversa. Por exemplo, nas festas acontecem muitas frustrações, e na minha condição de barman, muitas vezes acabávamos fazendo um papel de ouvinte e psicólogo. Muitos homens bebem para amenizar as dores, e quando encontram alguém para ouvir os problemas deles, os caras desabam. Geralmente, esse alguém é o barman, o garçom... Ninguém do outro lado do balcão, nem os próprios amigos do cara, o acolhem nesse momento. E aqui vivenciei muitas situações constrangedoras, de caras enormes de tamanho, chorando feitos beberrões na minha frente. Era engraçado, porque eu sou um cara pequeno e mais duro emocionalmente do que eles(que em teoria, pareciam ser os caras mais frios do mundo) . hehe
Eu não podia fazer muita coisa a não ser ouvir e guardar aquelas histórias como experiências. Eu praticamente nunca consegui ajudar nenhum cliente. Todos eles queriam ouvir que a esposa era exceção, que mesmo traídos deveriam dar segunda chance, que ele era o errado da história, etc. Nenhum aceitava qualquer ponto de vista diferente em que a sua companheira fosse uma pessoa ruim. E ás vezes, discutiam comigo defendendo a esposa após eu aplicar pequenas injeções de real. Mas com tempo percebi que era inútil tentar salvar alguém, porque existe homens que se acomodaram a viver numa lama emocional que tem até medo de sair dali. Eu no máximo consegui algumas amizades, que me ajudaram depois a arranjar outro emprego melhor, mas, os caras infelizmente vivem a mesma vida que levavam, com migalhas emocionais, dores profundas e um depressão que eles tentam abafar com bebida, gerando lucro pra alguém que se aproveita da fraqueza emocional desses mesmo caras.
Acho que se o cara assimilou bem a real, é esperto, tem uma grana pra gastar que não vai fazer falta, tem problema nenhuma ir em boate. O único problema que vi mesmo é o cara pobre que se endivida achando que vai ter sexo fácil ou o ingenuo que vai achando que vai encontrara mulher da vida dele lá.
submitted by galoccego to brasilivre [link] [comments]


2020.06.21 22:27 luccaaquino Eu fui babaca por parar de falar com dois meninos do meu colégio??

Olá turma como estão?Bom,eu queria saber quem foi o babaca dessa história,no ano de 2018 minha bisa veio a falacer,como ela tinha uma idade avançada (92 anos) ela ganhava uma boa aposentadoria,como ela era bem saudável minha avó utilizava grande parte desse dinheiro para educação minha e de minha irmã,quando minha bisa faleceu continuamos no msm colégio (vamos nomea-lo de colégio A) nesse colégio eu era bem inturmado e já tinha um ano lá,como era um colégio de mensalidade alta meus pais n conseguiriam nós deixar lá e deixando uma dívida de mais de 20000R$,como meus pais prezam pela minha e educação de minha irmã, colocaram em outro colégio (o colégio da história), como eu gostava MT do colégio (A)fui com um pouco de preconceito pra lá,mas n durou mt tempo pq consegui me inturmar com umas meninas e talz foi quando eu conheci o Cleison(nome fictício) ele era bem legal no início,mas com o tempo e algumas brigas de meninos de 13 e 12 anos,ele parava de falar cmg por uns 2 ou 3 dias, e voltava a falar cmg como se nada tivesse acontecido,sendo que ele ficava falando que eu era burro e só tirava nota baixa pq eu tinha repetido um ano por causa de bullying,como eu acreditava que ele só tava falando isso por causa do calor do momento eu perdoava ele,o junin(tmb nome fictício) era amigo dele,e tmb morava no meu bairro,por conta disso eu era mais próximo do junin,ele mentia bastante acho que era para se tornar atraente pelas meninas,que aliás eu era pq me achavam bonito,ele falava que tinha iPhone x(alguns meses dps do lançamento) eu inocente,acreditava e pedia ft,ele dizia q ia mandar a ft e nunca mandava,como era um celular caro ele dizia que nunca ia levar para escola com medo de ser assaltado (PS:ele tinha um Samsung de última geração e levava esse celular pro colégio e ele tinha minha idade e voltava com a mãe,sendo que o colégio ficava do lado da casa dele,e eu voltava sozinho,e moramos no msm bairro com uma distância das casas serem menores que 20 metrôs)nós últimos dias de aula eu n me sentia tão bem com o as coisas que estavam acontecendo, pedi para meus pais me tirarem do colégio para eu tentar recomeçar minhas amizades,mas minha irmã n queria sair do colégio pq ela conseguiu um relacionamento que dura até HJ,na conclusão,nós dois saímos do colégio pq fizemos uma dívida cara lá,17000R$, então eu parei de falar com os dois e n dei satisfação aos dois,mas o menino mentiroso morava no meu bairro,e a gente se encontrava de vez em quando,ele pedia pra eu desbloquear ele no wpp,e perguntava o que tá a acontecendo com a mãe dele do lado,falava que explicaria para ele no wpp e eu inventava uma desculpa,Os(teve uma vez que eu tinha ido comprar umas coisas para casa como pão e refrigerante,so que no caminho eu encontrei ele,e a gente ainda se falava,só que um mendigo tinha me parado para pedir dinheiro para provavelmente beber ou usar drogas,dizendo que era para comer,eu falei que n tinha,então o menino mentiroso veio até mim puxou meu braço de leve e perguntou zoando se eu n tinha dinheiro pra dar pra ele,eu ri meio sem graça,falei com ele e segui meu rumo, depois de mt tempo ele provavelmente pegou raiva de mim e n fala mais cmg.minha família está pensando em se mudar para Portugal arriscando tudo isso foi tudo
submitted by luccaaquino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 02:34 luccaaquino Parei de falar com dois meninos pq um era falso e outro mentiroso

Bom,eu queria saber quem foi o babaca dessa história,no ano de 2018 minha bisa veio a falacer,como ela tinha uma idade avançada (92 anos) ela ganhava uma boa aposentadoria,como ela era bem saudável minha avó utilizava grande parte desse dinheiro para educação minha e de minha irmã,quando minha bisa faleceu continuamos no msm colégio (vamos nomea-lo de colégio A) nesse colégio eu era bem inturmado e já tinha um ano lá,como era um colégio de mensalidade alta meus pais n conseguiriam nós deixar lá e deixando uma dívida de mais de 20000R$,como meus pais prezam pela minha e educação de minha irmã, colocaram em outro colégio (o colégio da história), como eu gostava MT do colégio (A)fui com um pouco de preconceito pra lá,mas n durou mt tempo pq consegui me inturmar com umas meninas e talz foi quando eu conheci o Cleison(nome fictício) ele era bem legal no início,mas com o tempo e algumas brigas de meninos de 13 e 12 anos,ele parava de falar cmg por uns 2 ou 3 dias, e voltava a falar cmg como se nada tivesse acontecido,sendo que ele ficava falando que eu era burro e só tirava nota baixa pq eu tinha repetido um ano por causa de bullying,como eu acreditava que ele só tava falando isso por causa do calor do momento eu perdoava ele,o junin(tmb nome fictício) era amigo dele,e tmb morava no meu bairro,por conta disso eu era mais próximo do junin,ele mentia bastante acho que era para se tornar atraente pelas meninas,que aliás eu era pq me achavam bonito,ele falava que tinha iPhone x(alguns meses dps do lançamento) eu inocente,acreditava e pedia ft,ele dizia q ia mandar a ft e nunca mandava,como era um celular caro ele dizia que nunca ia levar para escola com medo de ser assaltado (PS:ele tinha um Samsung de última geração e levava esse celular pro colégio e ele tinha minha idade e voltava com a mãe,sendo que o colégio ficava do lado da casa dele,e eu voltava sozinho,e moramos no msm bairro com uma distância das casas serem menores que 20 metrôs)nós últimos dias de aula eu n me sentia tão bem com o as coisas que estavam acontecendo, pedi para meus pais me tirarem do colégio para eu tentar recomeçar minhas amizades,mas minha irmã n queria sair do colégio pq ela conseguiu um relacionamento que dura até HJ,na conclusão,nós dois saímos do colégio pq fizemos uma dívida cara lá,17000R$, então eu parei de falar com os dois e n dei satisfação aos dois,mas o menino mentiroso morava no meu bairro,e a gente se encontrava de vez em quando,ele pedia pra eu desbloquear ele no wpp,e perguntava o que tá a acontecendo com a mãe dele do lado,falava que explicaria para ele no wpp e eu inventava uma desculpa,Os(teve uma vez que eu tinha ido comprar umas coisas para casa como pão e refrigerante,so que no caminho eu encontrei ele,e a gente ainda se falava,só que um mendigo tinha me parado para pedir dinheiro para provavelmente beber ou usar drogas,dizendo que era para comer,eu falei que n tinha,então o menino mentiroso veio até mim puxou meu braço de leve e perguntou zoando se eu n tinha dinheiro pra dar pra ele,eu ri meio sem graça,falei com ele e segui meu rumo, depois de mt tempo ele provavelmente pegou raiva de mim e n fala mais cmg.minha família está pensando em se mudar para Portugal arriscando tudo
submitted by luccaaquino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.07 21:15 castielking17 Nunca beba corote:

Olá luba, editores, papelões decapitados e turma que está a ver.
É longa, mas espero que goste
Obs: sou de manaus
Minha história começa quando eu terminei o meu namoro (que era totalmente abusivo), bom... Meus melhores amigos e eu sempre saímos para festas todo final de semana (antes da pandemia) só que eu era o responsável por eles, até essa bendita noite. Nesse dia eu terminei com minha namorada após descobrir que ela tinha me traído e como já disse ela era muito abusiva (não gostava de sair comigo e não queria deixar eu sair com meus amigos) então fui pra uma festa que a entrada era de graça e teria vodka liberada a noite toda ou seja ia ser muito zuado, chegando lá encontramos uns amigos da minha melhor amiga e lá havia um casal (fulano e fulaninha) e a amiga da fulaninha estava com ela (detalhe ela era lésbica), a ex da minha amiga também estava lá que é super gente boa. A festa estava Rolando e tals aí eu comecei a olhar em volta pra ver se via alguém atraente para eu dar em cima não vi ninguém de interessante e acabei focando na conversa da mesa até que o casal começou a dançar e a amiga da fulaninha começou a falar mal do casal
Amiga - "eles se conheceram semana passada e ela já tá ficando paranóica com ele, achando que ele vai ficar com alguma por aí" Eu - ah, normal ela ainda não tem muita confiança nele (mas, na minha cabeça tava "espero que dê merda pra eu consolar ela).
Aí meu amigo que estava em outra festa e nos chamou pra lá, fomos só que era uma festa de inauguração então estava lotado, mal dava pra se mexer e eu estava sem muito dinheiro e a bebida mais barata era o corote de blueberry, eu comprei e é uma dlc só que... Meu melhor amigo e eu começamos a conversar sobre o meu término e eu comecei a ficar puto pq eu comecei a lembrar de tudo e comecei a beber mais rápido e virei o primeiro corote de uma vez (um corote já me derruba) foi então que eu pedi outro e todo mundo queria voltar para a outra festa que a gente tava (ficava uns 10 minutos apê), eu já altamente bêbado e meus amigos que não precisam ficar bêbados pra ser atentado começamos a tocar campanhia das casas pelas ruas até que em uma casa tava tendo uma festa e a gente começou a gritar na frente e um cara saiu da festa e a gente saiu correndo e eu tinha comprado um sapato branco da Adidas (eu acho) que me custou uma grana e na correria eu acabei pisando em uma poça e sujou todo o meu tênis (BRANCO, NOVO E EXTREMANTE CARO) já mais puto ainda eu cheguei na festa aonde estava os amigos da minha amiga. Chegando lá minha ex me mandou msg me pedindo desculpas e eu falei "eu tô muito porre agora deixa pra conversar quando eu tiver sobreo" aí ela começou a dizer coisas do tipo "tu já tá ficando com outras pessoas?", "Ficou com a tua melhor amiga". Então começamos a discutir por msg eu bloqueei ela e fui pegar mais cachaça só que no bar a gente ficou esperando o pessoal servir a gente e tinha uma mesa aonde as pessoas fumavam narguilé e na mesa estava o fulano, mas a fulaninha não e... Ele tava com a beijando outra menina foi então que eu pensei "minha chance" eu saí do bar e a fulaninha tava vindo na minha direção eu agarrei ela e falei bem baixo no ouvido dela "teu namorado tá te beijando outra menina lá dentro e vc não vai querer ver isso" e ofereci bebida pra ela ou seja tinha acabado de destruir um relacionamento, e minha ex namorada começou a me ligar eu sair da festa e comecei a gritar com ela pelo telefone chinguei ela de tudo que era jeito perdi as contas de quantas vezes chamei ela de puta e voltei pra festa pq tinha começado a chover eu peguei uma cadeira e comecei a beber na chuva até que minha amiga me chamou pra dentro do bar e eu entrei me sentei em uma cadeira e dormi e em volta de mim estava os meus amigos conversando e o meu amigo tava conversando com um amigo dele e eu não sei oq me passou pela me cabeça que eu gritei o "tals" tá dando em cima da "mulice" (essa "mulice" era namorada do amigo dele) ou seja.
Estraguei um sapato novo, encomodei uma vizinhança inteira, gritei com minha ex (que hj é minha amiga) na festa, "destruí" um relacionamento (a fulaninha ficou com a ex da minha melhor amiga) Quase perco meu melhor amigo, fora que eu ainda tentei beija minha melhor amiga, e fiquei jogado na festa oq rendeu bastante fotos, até hj não lembro como voltei pra casa.
submitted by castielking17 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.04.10 18:01 notPlancha Pornografia

Teoria vinda das vozes da minha cabeça : Pornografia. Querendo ou não todos nós já vimos pornô em determinados momentos de nossas vidas, propositalmente ou não, com menos frequência ou frequentemente (André), mas no final das contas a indústria pornô está presente em nossas vidas e na vida da maioria dos seres humanos, mas não como algo pequeno com efeitos mínimos, mas sim algo de proporções colossais que interferem diretamente e indiretamente na vida de todos, e no meu ponto de vista, está e sempre causou mais danos diretos e indiretos para todos nós. Vamos começar pelo início, não sou contra a indústria pornô e muito menos quero forçar com que isso termine, pois sou liberal e não me interesso em controlar a vida de outros e muito menos quero ser controlado por terceiros, por isso se quer dar a bundinha, dá para quem quiser, filmando ou não, não estou nem aí, mas como sou um ser humano falho e me importo com as pessoas, principalmente um pouco mais com as mulheres do que com os homens (- sou mais feminista do que as próprias feministas...), sendo assim, vamos analisar um pouco os efeitos negativos que a indústria pornô causa contra as mulheres em sí (-antes de continuar, quero deixar claro que qualquer mulher que apoia a indústria pornô está se diminuindo e objetificando perante aos meus olhos...), a própria essência do pornô é machista, ou seja : uma mulher que está vendendo o seu corpo (-objeto de compra/posse ) e o homem que está a comprar esse objeto (- ter posse sobre ela ), logo já podemos perceber a superioridade que é implementada intrinsecamente para o ser masculinos e a objetificação que é colocada na mulher. E não vamos ser falsos moralistas e hipócritas, a quantidade que homens consomem pornô é enormemente superior e sem comparação para com as mulheres e até mesmo na maior parte dos vídeos que as mulheres estão " dominando " os homens, é apenas um fetiche que o próprio homem possui e o seu objeto (- a mulher ) está apenas a cumprir com as suas ordens, logo é apenas um fetiche de feminização que é usada de maneira (-pejorativa) contra a própria mulher no pornô, porque o homem está sendo tratado e representado com uma mulher (-objeto). Bom, já dito isso, claro que podem pensar que vídeo pornô é apenas um vídeo de entretenimento para públicos alvos (- específicos ) e que não refletem na vida real, perdão, mas quem pensa assim está longe de estar certo, vamos novamente desde o início, já sabendo que o pornô objetifica a mulher sexualmente perante a compreensão e visão masculina, isso causa efeitos diretos no nosso comportamento humano/animal (- sim somos animais ), mas esses comportamentos eram claramente visíveis e desmoderados na década de 80/90 onde na maior parte dos países o teatro/cinema sexual era algo completamente " normal " para os padrões daquela sociedade, se via nas entradas e nos posters desses teatros/cinemas sexuais fotos de mulheres consideradas atraentes para a maior parte dos homens, ou seja, uma sistematização de padrão (- uma preferência específica de corpo ideal ), vale ressaltar que no marketing era uma mulher (- ou varias mulheres ) a tal mulher ideal que era apresentada e não um cara que era considerado gostoso e com um enorme pênis, outro ponto importante é que o pornô em sí, desde antigamente nunca foi sobre fazer a mulher gozar ou sentir prazer (- apenas em certos casos, mas já chego lá ), mas sim para fazer o homem gozar e sentir prazer, ou seja, o pornô tinha/tem como intenção agradar o seu público alvo, logo a maior parte das posições e intensidades era apenas para dar prazer e satisfações para os homens também quererem fazer isso com principalmente prostitutas, porque como já mencionado varias vezes, elas são o objeto que irá lhe fazer tudo o que desejas, apenas por dinheiro em troca (- que leva também a outro ponto que envolve o dinheiro, pois logo que o dinheiro comprava até " não prostitutas ", isso criou apenas uma guerra para ter mais e mais dinheiro para poder se aproveitar mais e mais dessa necessidade.., maass isso já seria mais um tema que provavelmente ninguém iria ligar, pois provavelmente ninguém vai ler isso a sério até o fim...) e as boas feministas estavam lá, porque elas sabiam os efeitos que isso causava e que seria prejudicial para as mulheres, um tempo onde as feministas sabiam o que era moral e quais problemas a indústria pornô causava contra a moralidade feminina, aliás elas lutavam até contra a própria relativização que hoje apoiam, pois as mesmas sabiam que se as mulheres fossem relativizadas aos olhos de uma sociedade machista/patriarcal, elas nunca receberiam respeito adequada por serem seres humanos, mas sim o contrário, seriam vistas apenas como objetos sexuais de compra, bons tempos em que as feministas não se importavam em sair com os peitos a mostra por " igualdade ", porque as mesmas saberiam os efeitos contrários que isso traria...., mas também é outro assunto, mas isso só demonstra como vivemos em uma sociedade doente que coloca os seus desejos carnais acima de qualquer coisa. Bom, desejos carnais, vamos falar dos homens agora, conseguimos tantas conquistas (- homens/mulheres ), mas se somos realmente animais racionais e se sentimentos são reais, por que caralhos os homens colocam e arriscam tudo que possuem apenas para sentir uma sensação boa em seus orgãos sexuais, mas vamos com calma, primeiramente aos pobres, sim, esses mesmos que trabalham em part time ou full time que pagam uma miséria por exaustivas horas de trabalho, por que gastam o seu merecido e honroso dinheiro com pessoas que simplesmente não contribuem para nada além de um vício continuo de masturbação em massa que mais afetas homens do que mulheres (- nem vou entrar no ponto do aproveitamento das mulheres perante isso, nem vale a pena ), assim horas e horas perdidas, apenas para pagar pack de nudes de randons " fofinhas " da internet para se satisfazer com isso (- só troxa mesmo e o pior que isso existe em uma abundância enorme...) ou para poucos momentos de sexo com prostitutas, pois provavelmente são precoces e possuem uma pequena pilinha e já que não querem ser julgados por suas inseguranças sexuais, que nessa sociedade que preza mais no tamanho de pila e tempo de sexo do que valores éticos e morais, pelo simples fato de sentimentos carnais ou em palavras simples, ser humano sendo animal. Também temos homens casado/namorados que colocam seu relacionamento, fortunas, filhos em risco, apenas para ter um ápice de prazer por uns 6 - 12 segundos, puta merda que raiva, btw mulher também fazem isso MAS EM QUANTIDADES INSIGINIFICATIVAS (- nem vou colocar o fato de certo tipo de mulheres que nem valem a pena serem mencionadas, estou falando de pessoas simplesmente normais ), tanto conhecimento, tanto trabalho, tanta dedicação, tanto esforço, tanto sofrimento e tanto de tudo apenas para ficar se masturbando/comendo mulheres e outros, apostando tudo em apenas um prazer que sente na porra do pau, que raiva dessa merda, um dos pilares principais dessa merda de de sociedade é sexo (- e dinheiro/status ), como que as pessoas simplesmente ignoram tudo que já conquistamos para apenas pensar em objetos e prazeres carnais. Aliás digo mais, nas escolas para vocês, porque é o local mais próximo que pode se presenciar isso praticamente todos os dias, desde o quinto ano e até mais para baixo até o décimo segundo e em diante, os meninos são mastubadores compulsivos, " bla bla menina tbm faz ", sim, claro, (- ainda mais por causa da sexualização infantíl e bla bla ), mas sobre as meninas, nem chega próximo se quer a quantidade de braços direitos musculosos (André ) que estão presentes nas salas de aula, pode ter certeza que até se a menina mais " feia " (- considerado pela sociedade ) fosse oferecer foda, a maioria iria simplesmente falar que sim sem pensar se quer em qualquer merda, apenas para enfiar o seu pinto em uma vagina repetidamente sem para e para chegar ao seu ápice por alguns segundos, a maior parte dos relacionamentos nas escolas é currículo de foda, os meninos se vangloriam-se pela quantidades de beijos e fodas e quanto mais popular e " bonita " menina (-gaja k ) é, mais glória eles acumulam e tudo isso é simplesmente pelo fato da sexualização precosse que a indústria pornô causa em todos.
submitted by notPlancha to PastaPortuguesa [link] [comments]


2019.10.06 04:28 altovaliriano Eddard Stark

George R. R. Martin reiteradamente afirma que nenhum personagem está a salvo da morte, uma noção que ele lapidou muito habilidosamente para estabelecer na saga. A primeira pedra da fundação desta estrutura é lançada com Eddard "Ned" Stark, ao final de A Guerra dos Tronos.
Ned é visto como personagem central do primeiro livro, no qual ele é apresentado como um pai amoroso, marido dedicado, amigo querido, líder confiável, vassalo leal, homem devoto e cumpridor de sua palavra e deveres. Estas qualidades são apontadas como as razões pela qual os leitores o identificam como o herói da história e alguém para quem torcer.
A história do personagem todos sabemos. Ned estava feliz no Norte com sua família quando notícias de que seu antigo protetor e pai de criação teria sido assassinado e seu rei (e amigo de infância) o nomeia como substituto no cargo de Mão do Rei. Desde o momento em que Ned aceita (relutante) o cargo, sua família começa sofrer com os atritos políticos entre Eddard e a família da Rainha. Em Porto Real, Eddard vai de peixe fora d'água a persona non grata enquanto investiga as circunstâncias da morte de Jon Arryn, até que perde todo o apoio político que tinha na capital com a morte do Rei Robert. Eddard tenta fazer justiça, mas é traído, humilhado e acaba por sequer ganhar a misericórdia que lhe foi prometida.
É muito apontado que Ricardo Plantageneta, o 3º Duque de York (1411-1460) seria a inspiração histórica de GRRM para Eddard Stark. O líder de sua Casa de York nos primeiros anos da Guerra das Rosas havia sido nomeado como Lorde Protetor e Regente da Coroa quando o Rei Henrique VI sofreu um colapso nervoso, traiu a Coroa e enfrentou a Rainha Margaret de Anjou, da Casa de Lancaster, mas acabou derrotado e teve sua cabeça exposta nos portões da cidade de York.
Outra inspiração histórica apontada é um dos filho de Ricardo, que viria a reinar como Ricardo III, que havia tentado usar o testamento de Eduardo IV para se tornar regente de Eduardo V... somente para depois anular o casamento de sua cunhada Elizabeth Woodville com o irmão, declarar seus sobrinhos como bastardos e tomar o trono para si. No fim, foi derrotado pelos filhos do primeiro casamento de Elizabeth.
Mas nenhuma dessas personalidades históricas pode ser tomada como referência direta à Eddard Stark, uma vez que a forma como Martin retratou Eddard parece ter sido moldada tendo em vista as necessidades da ficção e não como um estudo da história do mundo real. Portanto, é necessário avaliar a construção da personalidade de Ned Stark dentro das exigências de "As Crônicas de Gelo e Fogo".
Assim, para entender Eddard, proponho questionarmos sua criação, suas relações pessoais e suas relações políticas.
EDDARD, O ANIMAL HUMANO
Eddard nasceu como segundo filho de Rickard e Lyarra Karstark, mas sem demora foi substituído como caçula por Lyanna e Benjen. Ser um filho do meio já evoca uma série de questões sobre auto-estima e favoritismo em um núcleo familiar, especialmente em uma sociedade como a de Westeros, em que toda a fortuna da família é passada apenas para o primeiro herdeiro na linha de sucessão.
Tudo isto parecia ser verdade na família Stark. Ned relata que foi seu irmão mais velho, Brandon, quem recebeu toda a educação senhorial e era tido como o próximo senhor, até mesmo por Eddard, que não nutria nenhuma esperança de herdar Winterfell.
Neste contexto, o papel que um segundo irmão deveria desempenhar era o de leal vassalo do irmão mais velho. Não sabemos se a personalidade de Eddard foi determinante para que ele absorvesse essa postura ou se estas lições lhe foram passadas por seus pais ou por Jon Arryn. Contudo, sabemos que é assim que Eddard entendia seu papel dentro de sua família. Afinal, foram a estas lições que ele recorreu quando explicou a seu segundo filho, Bran, qual deveria ser seu papel diante do primogênito Robb.
De todo modo, se seu papel secundário e instrumental não estava claro durante sua infância em Winterfell, deve ter ficado muito claro quando foi enviado para o Ninho da Águia, para ser criado por um estranho. Ao contrário de Robert, Ned parece ter voltado pouco para a sede de sua Casa durante sua adolescência, fazendo com que seus laços com sua família e os nortenhos fossem notoriamente mais fracos do que os de Brandon, que foi criado em Vila Acidentada. Na verdade, Brandon era de tal carisma que conquistaria amigos até mesmo no Vale de Arryn.
Por outro lado, Ned é descrito como tímido, reservado, com aparência solene, coração e olhos gelados que parecem julgar os outros com desdém. Talvez isso tenha sido desenvolvido depois de adulto, e em razão das adversidades que enfrentou. Talvez estas características estivessem com ele desde que ele fosse criança. Assim, é possível que tenha deixado poucas amizades para trás quando partiu com oito anos para o Ninho da Águia.
Uma vez sob a tutela de Jon Arryn, a vida parece ter sido diferente. Como Jon Arryn havia perdido sua segunda esposa, irmão e sobrinho e não tinha filho algum, Robert e Ned eram como se fossem seus filhos mais velho e mais novo, respectivamente. Durante os nove anos que ficou por lá, é imaginável que Eddard tenha recebido muito mais deferências do que recebia de seu próprio pai em Winterfell.
Na verdade, a propalada honra de Ned Stark pode ser mais fruto de sua criação junto a Arryn do que derivada dos Stark. Não só porque a honra é uma das marcas daquela outra Casa ("Alto como a honra"), como o próprio Jon Arryn demonstrou que punha a honra frente a cega obediência (como quando se recusou a entregar Robert e Ned a Aerys e iniciou uma Rebelião por isso).
Já sobre os Stark de Rickard, por sua vez, paira uma suspeita de que tinham tanta sede de poder e influência quanto tinham de sangue (o tal "sangue de lobo"). Talvez por isso também que sejam tão notórias as diferenças entre Eddard e seus irmãos. Para além de uma mera incompatibilidade de gênios, pode ter havido uma incompatibilidade de criação.
Eddard não deixou de amar os irmãos, entretanto. Ainda que ele condene as atitudes de Brandon e Lyanna, Ned encomendou estátuas mortuárias para todos eles nas criptas de Winterfell, algo inédito na tradição Stark, que demonstra quão profundamente sentimental ele era, especialmente para seus familiares que tiveram um fim trágico.
Contudo, as vezes parece que a verdadeira família de Eddard, aquela que era dona de seu coração era triângulo que formava com Jon Arryn e Robert Baratheon. De fato, ao saber primeiro da morte de Arryn e depois da visita de Robert logo no começo de A Guerra dos Tronos, Ned vai da escuridão a luz: ele perdeu uma parte importante de sua família postiça, mas outra está a caminho para uma visita inesperada.
Por alguma razão que eu ainda não entendo completamente, entretanto, Ned parecia amar Lyanna acima até mesmo de Robert (apesar de ele achar que Robert tinha uma devoção por ela ainda maior do que a dele - AGOT, Eddard I). Nas memórias de Eddard, Lyanna era uma "menina-mulher de inigualável encanto" e, se foram verdade as especulações de que Lyanna o teria visitado às vezes enquanto ele esteve no Vale, poderia ser um indício de que entre ele e Lyanna havia uma intimidade ímpar na família Stark.
Durante "A Guerra dos Tronos", há vários instantes em que essa intimidade e as promessas que Lyanna requereu em seu leito de morte ecoaram. Mas um dos momentos que eu julgo mais significativo foi quando Robert, também em seu leito de morte, cita e imita Lyanna:
Saudarei Lyanna por você, Ned. Tome conta dos meus filhos por mim. [...]
– Eu… defenderei seus filhos como se fossem meus – respondeu lentamente.
(AGOT, Eddard XIII)
Esta coincidência parece indicar que Lyanna e Robert foram as figuras fraternas centrais na vida de Eddard.
NED, PARA OS ÍNTIMOS
Já foram explorados acima vários aspectos da personalidade íntima de Ned. Mas é preciso discriminar melhor. E o primeiro deles se refere à visão que, durante a infância, Ned tinha de sua família e vice-versa.
Sobre seu pai e mãe, pouco conhecemos através de Ned. E isso parece indicar que há uma distância, tanto porque não era um filho com deferência de nenhum deles, quanto porque ele desenvolveu sua psicologia longe de casa, sob a tutela de sua icônica figura paterna, Jon Arryn.
Sobre seus irmãos, Ned passou a vida à sombra de Brandon (sendo suplantado por ele até na tarefa de conseguir para si próprio uma dança com a garota por quem ele se apaixonou), mas até parecia apreciar esta posição, pois sentia-se mais confortável na posição de irmão cumpridor de seu dever.
Quanto à Lyanna, há muitos indícios de sua intimidade, o que talvez decorresse de seu temperamento analítico, em contraste com o sangue de loba dela. O modo como Eddard tentou persuadir Lyanna de que Robert seria um bom partido parece revelar que Eddard pensava ter algum influência sobre ela. Ao mesmo tempo, Eddard afirma que Robert não conhecia a garota como ele. Pode ser, inclusive, que a falta de de rancor de Eddard por Rhaegar e sua reação mais moderada quando o príncipe a coroou Rainha da Beleza e do Amor em Harrenhal decorram de um certo conhecimento sobre a natureza de Lyanna e de como ela poderia estar correspondendo àquilo.
Sobre Benjen, o relacionamento com Eddard parece mais distante. É curioso pensar que, sendo o outro único filho sobrevivente de Rickard e Lyarra, somente tenha se aproximado melhor de Ned nos anos entre o fim da Rebelião de Robert e seu ingresso para a Patrulha da Noite. É possível, inclusive, que essa falta de intimidade, aliada com o fato de Ned já ter retornado a Winterfell com dois filhos homens, tenham sido decisiva na decisão de Benjen ir para a Muralha.
O segundo aspecto da personalidade íntima de Eddard é como ele se portou durante sua idade adulta, enquanto fazia amigos, vivia amores e formava uma família.
Eddard nunca é descrito como sendo um homem atraente ou um amante encantador. Na verdade, Catelyn fala como ficou desapontada com ele ser mais baixo e melancólico e ter um rosto mais simples que o de Brandon. Mas ela afirma que com o tempo descobriu o amor no coração "bom e doce" de Ned.
É interessante notar que essa foi a mesma opinião que ela deu sobre o Norte a Lynesse Hightower:
Lembrava-se de como a Senhora Lynesse era jovem, bela e infeliz. Uma noite, após várias taças de vinho, confessara a Catelyn que o Norte não era lugar para uma Hightower de Vilavelha.
– Houve uma Tully de Correrrio que sentiu o mesmo um dia – Catelyn respondeu com gentileza, tentando consolá-la –, mas, com o tempo, encontrou aqui muitas coisas que podia amar.
(ASOS, Catelyn V)
Portanto, Ned é uma alegoria do Norte: inóspito, simples e melancólico, mas que guarda algum tipo beleza e calor. A próprioa Lyanna é descrita como uma bruta por alguns (meistre Yandel) e uma beleza selvagem por outros (Kevan Lannister). Sabemos que Ned não tinha a natureza da irmã, mas poderia ter um pouco dessa beleza selvagem? Talvez Ashara o tenha visto sob essa ótica? Talvez nunca saberemos.
O que sabemos com certeza é que Eddard era um marido dedicado, assim com Catelyn era uma esposa dedicada. Ironicamente, dois cumpridores de seu dever conseguiram fazer surgir amor em um casamento arranjado que era o substituto de outro casamento arranjado. A forma como Eddard se obrigou a respeitar até a crença religiosa da mulher é tocante (construindo um septo para ela e trazendo um septão a Winterfell).
Isto é diferente do tipo de amor que Robert tem por ele. A amizade entre os dois parece o típico caso em que um extrovertido carismático adota um introvertido sem amigos. Este tipo de relação - que é imposta por outra pessoa - parece ser o tipo com que Eddard lida bem. Ironicamente, poderíamos dizer que Ned só é amigo de seu "chefe", o que combina com sua lição a Jon de que um senhor nunca deve ser amigo dos homens que comanda (ADWD, Jon III).
Como pai, Ned era muito efetivo e marcou seus filhos profundamente. Podemos ver os resultados de sua criação naqueles que amadureceram antes de sua morte. Robb havia absorvido todo o dever, a honra e o senso de justiça do pai, se tornando um Eddard em pele de Tully. Jon seria sua imagem e semelhança, caso não fosse filho de outros e não tivesse sido acossado a vida inteira por Catelyn. Ainda assim, é incrível que toda essa adversidade não o tornou menos cópia de seu "pai". É notório que Jon é mais orgulhoso que Robb, mas isso é uma coisa sua, talvez um mecanismo de defesa, resultado de um complexo de inferioridade, ou apenas das falsas certezas da juventude.
Bran, Arya e Rickon eram jovens demais para que a influência do pai cristalizasse em sua personalidade. Portanto, eles hoje estão suscetíveis à influência de outras figuras paternas na jornada que enfrentam. Ainda assim, pequenas lições de Eddard continuam a ecoar neles mesmo anos mais tarde. Bran ainda se lembra sobre como seu pai dizia que apenas diante do medo os homens podem ser corajosos, e Arya procura uma matilha constantemente para não perecer como o lobo solitário 'quando os ventos brancos se erguerem'.
O caso oposto foi o que aconteceu com Theon Greyjoy. Nem todo o tratamento com deferência que lhe foi oferecido em Winterfell resultou em boas relações com Ned. Ainda que descontemos seu conflitos internos pessoais (assunto para outro texto), esta repulsa de Theon pode ser explicada pelo fato de que ele havia crescido e sido educado dentro de uma cultura que odeia os habitantes do continente, em especial os nortenhos. Portanto, diante da educação recebida nas Ilhas de Ferro e do tratamento solene que lhe era dirigido, não parece inverossímil que ele mais tarde alegue que era sempre lembrado de sua condição de prisioneiro e pense que Eddard era frio com ele.
Entretanto, como visto em A Dança dos Dragões, o verdadeiro ressentimento de Theon era saber que nunca seria parte da família Stark. De fato, havia semelhanças demais entre a história de Ned e Theon para que suponhamos que Ned não tivesse boa dose de tato quando eles se relacionavam. Ned também havia sido retirado de casa quando ainda era criança para ir morar com um estranho em uma terra estranha. Ainda que sua condição no Ninho da Águia fosse bastante menos opressora do que a de Theon em Winterfell, ninguém poderia dizer que Ned foi voluntariamente enviado para o Vale. Assim, As conclusões de Theon serão sempre injustas.
Mas esse não é o caso mais interessante e agudo entre as crianças criadas por Ned. O relacionamento mais desafiador e com mais consequência era aquele com sua filha Sansa. Comecemos por dizer que não havia nada afetivamente errado entre eles, mas as circunstâncias tornaram as falhas deste relacionamento em um sintoma do que havia de errado no próprio Eddard como Mão do Rei. Em síntese, os erros de Sansa também foram erros de Ned.
Durante os eventos sinistros que ocorreram em A Guerra dos Tronos, Ned repetidamente deixa suas filhas no escuro sobre o que realmente estava se passando. Em razão da diferença de naturezas, Arya e Sansa têm respostas diferentes às situações. Eddard tem mais sucesso em apaziguar Arya, cujas semelhanças com Lyanna podem ter ajudado com que ele a compreende-se melhor (veja: Eddard até permitiu que Arya tivesse treinamento em armas quando sabe-se que o próprio Lorde Rickard não o permitiu a Lyanna).
Contudo, Sansa não é uma garota que tinha 'ferro por baixo da beleza', como Lyanna. Sansa é a garota para quem 'a cortesia era a armadura de uma dama'. E é justamente aqui esta a falha de Eddard. Ned não tem traquejo social, não entende de sutilezas e acaba traído e executado justamente por isso. Portanto, não é nenhum coincidência ou ironia que Sansa esteja sob a tutela e controle do homem que conhecia o suficiente de sutilezas para, por exemplo, trair e garantir a execução de Ned e ainda sair de mãos limpas e levando a filha que Ned não soube lidar adequadamente.
Mas a bizarra relação pai-filha entre Mindinho e Sansa é assunto para outro texto.
LORDE EDDARD STARK
Eddard Stark foi Lorde de Winterfell e guardião do Norte por 15 anos e é amado o suficiente na região para que pessoas arrisquem as próprias vidas em intrigas e guerras para proteger seus filhos. Mas se era Brandon quem teve a educação senhorial adequada e Ned não é carismático ou tem traquejo social, como isso é possível? Muito facilmente, alguém responderia que isso se deve a um longo verão de 10 anos. Mas não é só isso, á traços da personalidade de Eddard que o tornam um bom senhor.
O primeiro deriva de uma afirmação de Catelyn lembranda por Arya quando viu Tywin Lannister em Harrenhal:
Lorde Lannister tinha um aspecto forte para um velho, com rígidas suíças douradas e uma cabeça calva. Havia algo no seu rosto que fazia Arya lembrar-se de seu pai, embora não se parecessem em nada. Tem uma cara de senhor, é só isso, disse a si mesma. Lembrava-se de ouvir a senhora sua mãe dizer ao pai para envergar a cara de senhor e ir tratar de algum assunto. O pai ria daquilo. Arya não conseguia imaginar Lorde Tywin rindo de qualquer coisa.
(ACOK, Arya VII)
Como se vê, Eddard tinha cara de Lorde. O suficiente para ser comparável a ninguém menos do que Tywin Lannister. Pode parecer irrelevante, mas é algo que o próprio Bran também nota, como Eddard assumia o rosto do Senhor de Winterfell logo no primeira capítulo do primeiro livro.
O segundo é que Ned não faz separação entre o público e o privado. Sua relação com seus próprios servos é muito pessoal. A ponto de achar que o Senhor devia ceiar com seus homens e conhecê-los, para que eles não morram por um estranho (AGOT, Arya II). Esta tipo de política pessoal é tipicamente nortenha. É o tipo de política que mais tarde Jon Snow indica a Stannis Baratheon a seguir: deixe que eles lhe conheçam e eles lhe seguirão.
Este tipo de política, contudo, não é o que seria útil em Porto Real. Mas também este erro não pode ser atribuído totalmente a Ned. O primeiro erro foi de Robert, que selecionou Ned com base na confiança, não em suas competências. Caso Robert, tivesse olhado para sua própria família (como Stannis esperava, por isso que ele partiu para Pedra do Dragão depois que Robert o pulou), talvez o conflito contra os Lannister teria sido muito mais restrito e menos danoso ao reino.
Havia sinais que Robert deixou de ler quando selecionou Eddard para o cargo de Mão. O primeiro era que Eddard era essencialmente um soldado. Jaime Lannister, quando avalia Randyll Tarly como candidato a Mão de Tommen, ele avalia que um soldado é uma "fraca Mão para tempos de paz" (AFFC, Cersei II). E isto é especialmente verdade quando notamos que Eddard é um agente político sem agenda ou ambição. Na ausência de um conflito real, ele é apenas alguém segurando a cadeira para outra pessoa (e que não via a hora de ir embora).
Talvez tenha sido o fato de que Ned continuou no Norte a se portar como um segundo irmão obediente e não causar problemas a Porto Real que tenha feito Robert pensar que Lorde Stark daria uma boa mão. Mas a postura isolacionista de Eddard deveria ter funcionado como um sinal de que o homem não saberia lidar com costumes da política sulista.
Porém, no final, Robert preferiu algo que lhe trouxesse conforto e familiaridade. E a falta de traquejo de Ned cobrou seu preço. Desde o primeiro encontro com o conselho, Eddard demonstrou que não tinha talento para fazer aliados, não estava acostumado a não ter a palavra final e tinha uma retórica rudimentar. Todas estas qualidades reunidas fazem de uma pessoa um imã de inimizades.
Fora isso, Ned não se cercou de pessoas que poderia confiar, tampouco agiu para a destituição de pessoas de quem ele desconfiava do conselho do rei (o que seria de alguma fácil de conseguir, já que metade do conselho era de baixo nascimento).
Por fim, quando seus erros de cálculo se acumularam e circunstância fora de seu controle se mostraram desfavoráveis, Eddard julgou que poderia usar seu cargo e uma força mercenária (patrulheiros da cidade subornados) para resolver tudo e cometeu mais um erro de subestimar Cersei, dando-lhe uma chance de fugir, no que ele classificou como "a loucura da misericórida".
No final, os Lannisters usaram sua própria honra contra ele, fazendo com que ele confessasse ter fabricado a verdade pela qual seus homens morreram em seu golpe de estado fracassado.
EDDARD, O MORTO
Primeiro, temos que afirmar o óbvio: Ned não está vivendo uma segunda vida em algum pombo em Porto Real, como afirma a infame e bizarra teoria. Nós estivemos na cabeça de Eddard e ele nunca teve sonhos de warg ou qualquer experiência de troca-peles.
Mas, fora de questões lúdicas, por que Martin matou Ned?
Algumas pessoas pensam que, ao matá-lo, GRRM estava dando o tom dos livros. Pessoas sem capacidade de se adaptar não estariam aptos a serem parte do jogo dos tronos e seriam alvo fácil para jogadores mais talentosos e experientes.
Outros afirmam que foi justamente para mostrar que assim eram as políticas medievais, e que Martin está apenas sendo realista e fiel ao tom da história de nosso mundo. Porém, Martin já afirmou enfaticamente não ter ou defender uma visão niilista do mundo.
Eu gostaria de propor uma terceira via: que Ned foi morto por circunstâncias fora de seu controle. Afinal, no fim, sua morte não era prevista nem por seus inimigos. Foi apenas um capricho de Joffrey, assim como a tentativa de assassinato de Bran.
Qualquer que tenha sido a razão para Ned morrer pela própria espada que ele executa Gared no início dos livros, a morte de Eddard aparentemente já era prenunciada (foreshadowed) desde o começo do livro, com a descoberta a loba gigante morta e seus filhotes desamparados perdidos no mundo.
submitted by altovaliriano to Valiria [link] [comments]


2019.04.30 21:34 sasskk Vamos acabar de uma vez por todas com essa ficção de que a mulher brasileira é interesseira

TL;DR no último parágrafo.
Sério, desde que eu vim morar aqui eu me sinto como aquelas pessoas que acham que a terra é quadrada. Ou que pensam que vacinas causam autismo. Única diferença é que eu to certo e elas tão erradas.
Se tem uma coisa que eu ouvi de novo e de novo é que a mulher brasileira é interesseira. Ouvi isso de homens. Ouvi isso de mulheres. Ouvi isso de brasileiros que moram no brasil. Ouvi isso de brasileiros que moram nos EUA.
Logo que eu me mudei pro brasil aos 25 eu era um pé rapado. Morava com a família - nem com os pais, com os avós mesmo. Não tinha carro. Não tinha emprego. Ainda assim eu conseguia vários encontros no Tinder com meninas bonitas e interessantes. Alguns segundo e terceiro e etc encontros. E depois de alguns meses, uma namorada.
Um pouco mais de um ano depois eu terminei meu relacionamento. A essa altura eu já tinha mudado muito o meu "status". Já tinha comprado um apartamento. Já tinha um emprego bom de consultor financeiro que pagava bem. E alguns meses depois teria um carro. Então, pela lógica do que todos dizem, se eu já tava indo bem antes quando era um chinelão, agora teria uma fila de mulheres até a esquina do meu condomínio, certo? Não teria mais tempo durante a semana pra tanto primeiro encontro, certo? Nem perto.
De repente, conseguir um primeiro encontro era um sacrifício. Semana ou até semanas de conversa mas sempre muito ocupada pra sair junto, ou então desmarcava no dia do encontro. Quando acontecia um primeiro encontro, era com uma menina não muito atraente, ou então nada interessante, diferente do que acontecia ano passado. E mesmo as que finalmente davam certo, durava 3 ou 4 encontros e o negócio morria sem explicação nenhuma.
Mas aqui tá o chutador. Sabe essas gurias que deram certo e pudemos sair algumas vezes, seja antes do meu relacionamento ou depois? Praticamente todas dividiam a conta. Eu não tinha problema nenhum em sair num lugar legal e pagar a conta toda, mas a grande maioria queria dividir. Como dá pra chamar de interesseira uma mulher que divide a conta logo de cara nos primeiros encontros, e continua dividindo?
E antes de começarem os comentários espertinhos... eu não sou feio, ok? Não sou bonito, mas também não sou feio. E não sou chato pra conversa também. Não sou lá tão interessante ou divertido pelo whats, mas eu sei como não ser chato. Sei evitar os clássicos e repetitivos "bom dia, tudo bem?" "oi sumida rsrs" "manda nudes". Sei quando parar de falar. Sei perceber que ela está perdendo o interesse e dar um tempo. E sei até perceber que ela perdeu o interesse e partir pra próxima pra não perder tempo.
Dito tudo isso, eu até admito que se tu for um milionário ou dirigir um porsche ou algo assim tu vai ter mais sucesso com as mulheres. Então de certa forma tu poderia dizer que a mulher brasileira é interesseira. Só que meu ponto é que se for esse o argumento, então todas as mulheres de todo o mundo são interesseiras. Se tu for um milionário ou dirigir uma porsche no Canadá tu também vai atrair umas canadenses. Desafio alguém a achar uma cultura onde um cara milionário vai ter menor or igual sucesso do que se ele fosse pobre. Até vou te dizer que não é só com mulher isso não. Se eu ver uma mulher jovem dirigindo uma porsche também vou abrir o olho, imagino que isso seja verdade pra maioria dos homens.
O ponto é que o que gostam de dizer que atrai as mulheres brasileiras é totalmente um mito. Comprar imóvel? Foda-se. Ter um carro? Foda-se. Morar sozinho? Foda-se. Emprego? Foda-se. Roupa de marca? Meu deus essa é a pior de todas. Eu pesquisei aquele cinto da off white, que troço mais horrível de feio, como que gostam daquilo?? Mas enfim, olha essa cópia aqui. Não tem preço mas pelo que me lembro custa 38 dólares. 150 reais. E as avaliações? "this is not fake" -- "looks like the real thing" -- "woah really close to perfect". Comé que uma pessoa bêbada na festa vai saber que esse cinto é de 150 reais e não 2000, se até os avaliadores da amazon dizem que é difícil perceber a diferença? Isso serve pra qualquer outra "roupa de marca" que o pessoal gosta de ostentar. Comé que as pessoas vão saber ao certo se são autêntica ou não? E mesmo se forem, foda-se. Roupa de marca não é nada caro comparado com certas outras coisas da vida.
Mas enfim, no final das contas eu só queria dizer que não to fazendo esse post porque fui iludido ou sei lá. Não to escrevendo isso porque me disseram que eu ia pegar todas e não peguei nem gripe ou algo do tipo. To feliz com minhas experiências, certamente foram melhores do que quando eu morava nos EUA. Só to escrevendo isso porque eu não gosto dessa lenda urbana de que mulheres brasileiras são interesseiras e louca por dinheiro. Minha experiência prova sem sombra de dúvidas que isso é um mito. Pelo menos comparado às outras mulheres de outros países.
submitted by sasskk to brasil [link] [comments]


2018.09.26 10:12 RR-Marinho Por que as meninas ficam me encarando na rua?

Tipo... teoricamente eu sou um cara feio (pelo menos eu me acho). Sou descendente de um monte de raças, daí acabei tendo um roto frankstein kkkkk, ou seja, ele não é um rosto comum e não é muito simétrico (ninguém nunca me disse, mas eu sei. E as pessoas vivem me falando que um pedaço/parte do meu rosto parece com a de um conhecido delas ou com a de um famoso). Minhas roupas são normais, de tons mais neutros e escuros (calça jeans, camiseta sem estampas e tênis azul, cinza ou branco) e, na minha opinião, acho que me visto de forma regulaboa.
E toda vez que saio na rua alguma menina olha pra mim. Às vezes, depois que olho pra elas (sem querer) ou quando vejo com o reflexo, percebo que elas estão olhando a alguns segundo pra mim e, depois que fazemos o contato visual, elas continuam olhando com a mesma cara (de curiosa, pensativa ou algo do tipo, não sei bem).
Uma vez, um conhecido disse que viu duas meninas passarem no sentido oposto ao meu na rua e, depois que eu cruzei elas, uma olhou pra trás conversou com a outra, depois, as duas olharam juntas pra mim.
Enfim, gostaria de saber qual pode ser o motivo de elas me olharem tanto? Sou muito feio? Sou exótico (feio, que não é tão feio e é atraente)? Faço elas lembrarem alguém? Tenho um biotipo curioso/intrigante/diferente?
Ahhh... Tenho 22 com cara de 17/18/19.
Por favor, me ajudem... Já estou perplexo com a situação, quando saio de casa, olho o mínimo possível para os lados (para evitar ver esse olhares indecifráveis).

Um abraço...
submitted by RR-Marinho to u/RR-Marinho [link] [comments]


2018.08.28 06:20 Inceliano As mulheres sempre me rejeitam... Não sei até quando vou suportar

Olá! Eu tenho 24 anos e preciso desabafar, durante toda a minha vida as mulheres me rejeitam, me humilham, me desprezam. Me sinto um lixo completo, algo sem valor algum. Quero me matar porque não aguento mais a solidão. Sou rejeitado por ser feio e baixinho, coisas que não posso mudar e não, o problema não é a minha "personalidade" tenho muitos amigos que dizem que sou inteligente, maneiro, etc. Tenho um hobby (música), enfim não tem nada errado exceto meus genes inferiores... eu sou lixo genetico e por isso sou rejeitado. Quando eu penso em quantas meninas os caras bonitos já pegaram enquanto eu fico sozinho tenho vontade de me enforcar. Não aguento mais.
Atualização: Quero agradecer aos comentários de todos, sim eu tenho um emprego e um carro, não que isso faça diferença com as mulheres. Pessoalmente eu acredito que "personalidade" é de certa forma um mito, pois em várias ocasiões alguns amigos meus me mostraram no celular conversas com varias mulheres e adivinha só? Não havia nada de espetacular nos assuntos, na maioria dos casos eram topicos simples e banais como por exemplo que séries elam gostavam de assistir. Também pude perceber como é a vida de um homem atraente, sexo para eles é tão simples como comprar pão de fato eu vi uma mulher que alardeava ser muito religiosa e que estava "se guardando" para o casamento em redes sociais mas no entanto não teve problema algum em manter um relacionamento de sexo casual com meu amigo. Enfim a realidade brutal é darwinista, seleção natural, e eu fui marcado para ser extinto. Minha unica esperança é a cirurgia plástica. Se isso falhar será o suicidio pra mim.
Atualização 2: Para aqueles que tem coragem o bastante para aceitar a realidade horrível de como funciona a atração eu recomendo esse vídeo: https://youtu.be/kEi4lLQYmSw
submitted by Inceliano to desabafos [link] [comments]


2018.07.28 21:19 davidfincherbrasil A moça que eu gosto é melhor que eu.

É engraçado ver essa throwaway de tempos em tempos e ver como eu tô fudido da cabeça há tempos e não crio vergonha na cara nem arranjo dinheiro pra ir atrás de ajuda profissional. Mas enfim... Vamos lá.
Eu antes reclamava que não conseguia de jeito nenhum gostar de alguém e nem o contrário, o panorama mudou recentemente e tem uma garota que eu gosto e parece ser recíproco, mas existem alguns problemas. O primeiro é que a gente só se viu uma vez e deu certo, a gente não consegue sair mais por causa de problemas na família que a impedem de sair às vezes e compromissos da vida. Falo com a menina em questão todos os dias há meses e essa é a primeira vez na vida que tô tendo esse tipo de coisa, um carinho e um afeto assim, por mais tardio que seja, tá me deixando feliz na maior parte do tempo, embora ainda tenha outras frustrações que envolvem minha imagem, e é sobre isso que escrevo.
Ok, eu conheci a menina pelo Tinder, desde a primeira conversa eu percebi que ela é meio diferente de mim, dei o meu primeiro beijo na vida com ela mas... Ela já beijou aparentemente muita gente antes, assim como já vivenciou muita coisa que eu jamais vivenciei (e talvez nem vá, tendo em vista o quão inapto eu me considero pra fazer amizades e me envolver com coisas e pessoas novas na vida, mesmo tendo alguns amigos ainda me acho meio que um cara socialmente abaixo da média) e eu me sentia incomodado com isso, cada história que eventualmente ela mencionava me deixava mais cabreiro, pensava se eu ia ser no final das contas só mais uma história e umas outras paranóias. Aprendi a respeitar esse passado de aventuras dela que eu nunca pude ter a chance de viver, mas eventualmente ainda surgem filminhos na minha cabeça dela com outras pessoas e isso me atormenta porque todas essas imagens que eu crio na minha cabeça possuem uma coisa em mim: os indivíduos nelas presentes são melhores que eu.
Eu definitivamente não me acho uma pessoa interessante o suficiente pra que alguém como ela me namore, ao mesmo tempo que tô gostando muito dessa moça eu fico pensando em como talvez eu não seja capaz de ser o que poderia ser melhor pra ela, nossas conversas fluem e a gente tá sempre conversando em uns momentos ruins e o que eu acho melhor é que somos sinceros um com o outro. Mas, fato é que eu a encontrei num momento não tão bom da vida dela, onde ela se encontra sem energia, disposição ou simplesmente é impossibilitada de fazer as coisas que ela fazia antes, e minha insegurança diz que agora que a vida tá sem graça, ela se apegou na minha pessoa por "carência", questiono se uma vez que tudo voltar ao normal na vida ela ainda vai me ver com os mesmos olhos, porque ela já ficou com gente melhor que eu e eu sei que não tenho nada de bom, não tenho nenhum hobby diferente e interessante, não sei tocar instrumento algum, não falo nenhum idioma diferente, não cumpri com minhas obrigações, sou feio sem experiência nenhuma na vida, não me sinto capaz de fazer nada sozinho e a lista vai. Enquanto ela tá cursando uma faculdade boa (eu tô sem fazer nada da vida, estudando pro ENEM mas não o suficiente), já teve um bom emprego mesmo que jovem, toca instrumentos, é bonita, ia pra festas, extrovertida... Enfim, o tempo todo me acho que ela vai ser feliz comigo porque eu não sou capaz, por mais que haja um interesse por mim AGORA.
Eu não sei em que ponto minha autoestima ficou tão fodida, acho que sempre foi assim por algum motivo mas as redes sociais (especialmente o fucking tinder, que jogou na minha cara o quão desinteressante e feio eu sou comparado com tantas outras pessoas) e a artificialidade desse mundo me deixou pior, mesmo havendo uma consciência minha sobre isso. O exercício de danação que é se comparar aos outros não faz bem, mas eu persisto nisso e chego ao ponto de achar a primeira pessoa que eu estou tendo um interesse romântico na vida superior, que aproveita(va) a vida como eu jamais serei capaz, sendo atraente, alguém que as pessoas irão ter vontade de conhecer, enquanto eu continuo sendo só um cara chato, que ninguém liga, normal, medíocre... E isso não diz só ao modo de vida que eu levo com as outras pessoas e das dificuldades que tenho de criar laços, mas eventualmente eu vou saber como é ser um fudido quando a verdadeira frustração das escolhas erradas e minha apatia caírem nas minhas costas e eu ter certeza que desperdicei minha juventude.
E agora fico sem saber o que fazer, não sei se continuo investindo nessa garota apesar desses problemas, tenho medo de se der certo, ela se arrepender, medo que eu me torne um cara ciumento e pareça ser controlador, medo de me privar de uma coisa tão nova na minha vida por besteira e acabar não tendo uma experiência boa.
É foda.
submitted by davidfincherbrasil to desabafos [link] [comments]


2018.02.13 20:29 Engrasado Desabafo de carnaval. É sobre não pegar ninguém.

TL;DR: Fui ao carnaval, a menina que eu estava interessado e já estava trovando ficou com 2 caras na minha frente. Tentei chegar em estranhas mas falhei miseravelmente. Aprendi bastante ontem, espero que venham outras oportunidades.
Tenho 20 anos e tenho aqueles problemas comuns que muitos caras da minha idade têm: baixa autoestima, pouco dinheiro, habilidades sociais pobres, nenhum sex appeal (hate this word), etc. Ou seja, a receita pra não pegar ninguém.
Fui ao carnaval na pilha de um amigo meu que é muito bom com pessoas e mulheres, tanto é que ele acabou de arrumar a primeira namorada dele depois de uma adolescência repleta de pegação (sério, toda vez que saíamos juntos ele ficava com alguém). Assim, comprei os ingressos e um lugar em uma van para 2 dias de carnaval numa cidadezinha do interior próxima de onde moro. Fomos eu, meu amigo, a namorada dele, um amigo e uma amiga dela, que moram lá.
Fui no primeiro dia, exagerei na Vodka e tive um PT emocional. Uma hora eu literalmente comecei a chorar do nada. Meu amigo não perdeu a chance de me zoar no outro dia.
Decidi não beber no segundo dia. Quer dizer, não muito. Tomei algumas cervejas, mas nada que desse aquele “buzz” do álcool que todos conhecemos. E eu me senti bem melhor. Sinceramente, não entendo se, quando mais jovem, não tinha maturidade pra controlar minhas emoções, mas eu nunca antes tinha me sentido melhor em um festa sóbrio do que bêbado. Dancei, cantei, fiz piadas, conversei, o que se faz em um carnaval.
Bem, eu já estava desde o primeiro dia afim da amiga (da gf do meu amigo), mas a vodka me impedia de formar frases compreensíveis.
No segundo dia, sóbrio, conversei com ela em alguns momentos na pista, ela ria às vezes ria das minhas piadas ruins. Decidimos descansar no pátio da casa de festas. Meu amigo me perguntou sobre uma música em inglês que estava tocando, traduzi pra ele a letra e ele disse que queria me ouvir falando.
Não sei como, mas ele deu um jeito de que eu começasse a conversar com ela one-on-one. Falamos sobre línguas, ela até que tem um certo entendimento do inglês, mas por ter bebido ela não conseguia falar. Foi engraçado. Conversamos sobre coisas mundanas: a cidadezinha do interior, nossas faculdades, de onde conhecíamos nossos amigos, etc. Li em um livro que tinha de manter o olho-no-olho e tocar nela às vezes pra deixar clara minhas intenções. Sinceramente, achei que ela até estava interessada.
Voltamos para dentro. Puta merda. Um cara, alto, forte, loirão de olho azul chega do nada e dá um beijo nela. Felt like a punch to the gut. Cara, o amigo dela me disse que ela era “difícil”, que não ficava na mesma noite. Eu estava feliz de estar conversando com ela, afinal, conversar com uma garota que tu tá interessado é muito gratificante.
Longe de julgar ela, dizer que é puta, fácil etc. Afinal, se fosse eu abordado por uma mulher extremamente atraente, eu provavelmente não diria não. Mas que deixa um gosto amargo na boca, deixa. O grupo resolveu voltar pra fora. Eu até pensei em deixar pra lá e tentar de novo (mas na minha cabeça me sentia uma putinha por ainda me interessar por ela depois disso).
Lá fora, um cara, que também era alto, forte, mas desta vez moreno, gesticula pra ela o “vem cá”. Ela vai, e não deu outra, ela pegou o cara também. PORRA. Eu faço todo o “levantamento de peso”, converso, toco, tento fazer uma graça, enquanto o cara, por ter sorte na loteria genética não faz o mínimo de esforço e consegue?
Com ele, ela ficou a noite inteira. Nesse momento, eu dei graças a deus por estar sóbrio, se estivesse bêbado eu ficaria triste, reclamão, de cara amarrada. Mas eu fui “calm and collected”.
Feels bad man. Tentei após isso com o amigo (da gf do meu amigo) chegar em algumas garotas que estavam dançando. Me surpreendi que não senti nenhum frio na barriga, palpitação, etc antes da aproximação (WTF? Eu sempre tive esse problema). Mas não peguei ninguém igual. Uma menina me disse que tava lá “só pra dançar”, outra simplesmente deu as costas e foi embora, outra foi salva pela amiga. Bom, não sei o que eu não tenho que outros homens têm, mas eu não consigo fazer essas abordagens.
Aprendi que sou uma pessoa muito mais funcional em uma festa sóbrio do que bêbado (meio óbvio, mas sempre estive bêbado em outras vezes). Aprendi que tenho que ser mais rápido. A culpa não foi do cara que ficou com ela, a responsabilidade de agir era minha e eu falhei. Percebi que existe uma dinâmica que eu ainda não entendo por inexperiência e falta de informação que me impede de desenvolver uma conversa com uma pessoa que acabei de conhecer.
Enfim, é isso, ficou longo pois não me sinto confortável em contar isso pra alguém (nem meu pai, embora ele seja legal).
submitted by Engrasado to desabafos [link] [comments]


2017.06.19 13:38 aGuyWhoNeverComments Como conseguem estar fora de forma?

Pessoal com barriguinha de cerveja,
No outro dia fui à praia com uns amigos e eles estavam todos a comentar que estavam gordos ou então, demasiado magros. No entanto, nenhum deles alguma vez fizeram ginásio. São todos pessoas carismáticas ou com peculiaridades que os tornam atraentes ao sexo feminino mesmo que não tenham o antebraço cheio de veias e um abdominal trincado e se rejam com uma dad bod, para além de terem caras bonitinhas. O que me intriga é como é que eles se conseguem sentir confiantes no dia a dia, ou mesmo quando vão a fazer sexo? Como pratico ginásio desde a minha adolescência, por volta dos 15/16, tenho o corpo que seria de esperar com tantos anos de ginásio. Mas antes disso, mesmo em miúdo lembro-me de me sentir um pouco mal por a tshirt ficar larga nos braços, o peitoral ser inexistente ou a barriga ter gordurinha. As mulheres ainda compreendo menos como conseguem ficar bem consigo próprias quando existe ainda mais pressões externas para se enquadrarem nos moldes de beleza. Acredito que a prática de exercício é algo de que qualquer e repito, qualquer pessoa gosta. É como ler um livro, com tanta variedade de temas e abordagens existe, inevitavelmente um livro ou autor para cada pessoa, então acabo sempre por ser aquele gajo chato que arrasta os amigos para o gym e já ajudei meia dúzia deles a alcançarem os objetivos a que se propuseram e todos me dizem que a sua auto-estima aumentou exponencialmente e fico super contente com isso.
Por isso, pessoal que se está a cagar se têm ou não barriguinha, qual é o vosso segredo para não se preocuparem? E meninas, como lidam com isso? E se não lidam, o que vos leva a não tomar uma atitude para se porem em forma?
Atenção, com este post apenas achei que poderia existir uma discussão saudável sobre o tema e não pretendo fazer qualquer juízo de valor, apenas tentar perceber como a maior parte pensa em relação ao assunto! :)
submitted by aGuyWhoNeverComments to portugal [link] [comments]


2017.01.09 21:12 reditofage Ex-namorada

Fiz esse post primeiro no /relationships
Vou ser mais sucinto. Terminei um namoro a 4 meses, namorávamos a 1 ano e 5 meses. Ambos tínhamos 17 (eu) e 18 (ela) quando começamos a namorar. Perdemos a virgindade um com outro, ela foi minha primeira namorada e eu o primeiro namorado dela.
Ela é uma menina maravilhosa. Uma pessoa de coração bom e linda, uma menina perfeita (um dos unicos defeitos que me incomodava era o fato dela ser um pouco fútil, sempre se importando muito com a imagem nas redes sociais) Sempre me amou e me deu suporte pra tudo. Tambem amei muito ela.
Mas um dia, esse sentimento se acabou. Sair com ela começava a se tornar um fardo, e eu não gostava de passar todo o minuto ao lado dela (preferia estar em casa ou fazendo outra coisa). Isso foi um pouco depois de eu ter entrado na faculdade, tava sempre exausto o tempo todo.
Foi quando eu decidi que iria terminar pra poder focar mais em mim. Ela ficou arrasada, chorou muito e a principio não aceitou. Insistiu pra tentarmos alguma coisa. Eu decidi terminar mesmo assim.
Nas semanas seguintes, segundo relato de amigos, ela ficou extremamente arrasada e triste. Eu tinha decidido que ia focar mais em mim dali em diante.
Nos 3 proximos meses, usei meu tempo pra focar na universidade e em outros hobbies meus, pra sair com amigos e conhecer gente nova. Amadureci muito nesse período, mas pensava muito em como eu machuquei ela e isso me deixava meio triste, mas nada muito forte.
Foi então que eu vi uma foto dela em uma festa com as amigas. Ela sempre gostou muito de ir nessas festas (festa sertanejo, muito popular no interior da bahia. rola muita pegação) mas depois que começamos a namorar, ela parou ou só ia quando eu fosse. Eu nunca fui chegado nesse tipo de coisa mas as vezes eu ia só por ela.
Fiquei muito feliz por ver que ela estava superando e feliz. Fiquei muito feliz por ela, mas...
Fiquei com ciúmes. Fiquei imaginando a menina que eu amei durante um ano inteiro de minha vida ficando com outros caras e isso me deixou mal. Fiquei assim durante uns 2 dias, mas depois disso desencanei e voltei pra minha vida normal. Tudo seguia muito bem novamente.
...Até que ví outra foto dela, indo em outra festa, 1 mês depois. Foi a mesma coisa de antes. Imaginando ela beijando outros caras (outroS porque nessas festas geralmente você não fica só com 1 pessoa. Ainda mais ela que é mulher e muito atraente (bonita de rosto e de corpo). Muito cara chega nela facil) Dessa vez essa sensação ruim durou só 1 dia.
Cheguei a ver de novo outra foto dela saindo assim, mas dessa vez não me afetou. Só ví e passei. Pensei que esse ciúme tivesse passado, até essa sexta feira...
Dessa vez rolou uma festa dessa aqui na cidade, e eu moro do lado do local de festa. Ví uma foto de uma amiga dela de todas as amigas juntas, e comentarios dizendo que "fulana(minha namorada) é um perigo" das amigas e coisas desse tipo. Isso me abalou totalmente.
Foi a mesma coisa das ultimas vezes, só que muito mais intenso. Só conseguia pensar nisso a noite toda. Eu conseguia ouvir a festa de casa, então passei a noite toda ouvindo e pensando, torcendo pra acabar logo.
No dia seguinte, fiquei muito, muito mal. Não comi nada o dia todo . Só depois de conversar com uns amigos me senti melhor. Hoje eu voltei ao meu "normal" de sempre.
Mas uma coisa me aflige: Vai ser assim toda vez que eu ver uma foto dela numa festa? Uma hora esse tipo de sentimento vai parar? O tempo cura esse tipo de coisa?
Eu não sei bem se é ciumes ou algum tipo de inveja. Algum tipo de sentimento reprimido de "ela deu a volta por cima de mim", "ela ta curtindo enquanto eu to aqui parado", "ela ta ficando com outras pessoas enquanto eu to no meu quarto". Eu não gosto desse tipo de festas (gostava quando era mais novo) e não curto ficar com pessoas "do nada", conhecendo na festa, dançando, dando um beijo e tchau.
Nesse período, cheguei a ficar com outras pessoas, mas nada próximo do numero de que eu imagino que ela tenha ficado.
Eu não tenho nenhuma pretensão ou vontade de voltar o namoro com ela. Depois do termino eu evolui muito em algumas areas pessoais e amadureci bastante, e sinto que ainda estou progredindo de um modo que um relacionamento só me atrapalharia. Tambem não quero namorar com ela num futuro nem nada assim, nem mesmo ficar com ela. Eu segui em frente em relação a isso.
Pra falar a verdade, eu fico realmente feliz que ela ta seguindo em frente com a vida dela porque ela merece. Desejo que ela continue assim. Mas esse sentimento é foda e me deixa muito pra baixo. Eu só quero saber se uma hora vai passar.
submitted by reditofage to desabafos [link] [comments]


5 Atitudes Para Ser Mais Atraente Para As Mulheres 6 coisas que deixam o homem mais atraente - YouTube 6 Hábitos Diários de um Homem Atraente 8 Sinais de Que Você É Muito Mais Atraente do Que Pensa ... CONHEÇA A 10/10 A MENINA DE OLHOS AZUIS QUE VIRALIZOU EM MEMES NO ANO PASSADO A MENINA MAIS PERVERTIDA DO VRCHAT... - YouTube 5 COISAS QUE DEIXAM UM HOMEM MAIS ATRAENTE 7 Sinais Que Você é Mais Atraente Do Que Pensa - YouTube Top 10 Meninas Que Mais Mudaram Em Carinha de Anjo - 2019 ... 6 Sinais que Vocé é mais Atraente do que Pensa - YouTube

3 Formas de Ser Fofa e Atraente (Garotas) - wikiHow

  1. 5 Atitudes Para Ser Mais Atraente Para As Mulheres
  2. 6 coisas que deixam o homem mais atraente - YouTube
  3. 6 Hábitos Diários de um Homem Atraente
  4. 8 Sinais de Que Você É Muito Mais Atraente do Que Pensa ...
  5. CONHEÇA A 10/10 A MENINA DE OLHOS AZUIS QUE VIRALIZOU EM MEMES NO ANO PASSADO
  6. A MENINA MAIS PERVERTIDA DO VRCHAT... - YouTube
  7. 5 COISAS QUE DEIXAM UM HOMEM MAIS ATRAENTE
  8. 7 Sinais Que Você é Mais Atraente Do Que Pensa - YouTube
  9. Top 10 Meninas Que Mais Mudaram Em Carinha de Anjo - 2019 ...
  10. 6 Sinais que Vocé é mais Atraente do que Pensa - YouTube

8 Sinais de Que Você É Muito Mais Atraente do Que Pensa - Duration: 9:06. INCRÍVEL 2,352,565 views. 9:06. COMO FAÇO A BARBA COM NAVALHA EM CASA - Duration: 10:33. 5 Atitudes Para Ser Mais Atraente Para As Mulheres ... As queixas mais comuns são de que os homens não conversam direito, bebem demais ou tentam usar carros e presentes caros para impressioná ... 6 Sinais que Vocé é mais Atraente do que Pensa - Duration: 4:02. Manual do Homem 676,574 views. 4:02. Como Ficar mais Bonito em 10 Passos - Duration: 6:16. Veja o meu vídeo sobre o segredo para ter uma pele limpa. Y: https://youtu.be/cTLrm8xMpIs Veja o meu vídeo sobre coisas que todos homens bonitos deixam de fa... Como saber se as pessoas acham que você é atraente? Todos nós duvidamos de nosso poder de atração, de tempos em tempos, procurando cada vez mais defeitos. Ma... O que mais te atrai em uma pessoa? Claro que cada indivíduo tem o seu gosto, mas existem algumas características que são quase universais quando estamos fala... Vídeo Especial para perder a timidez - http://bit.ly/VidasemTimidez Meu instagram - http://bit.ly/InstagramManualdoHomem Livro Receita da Atração - http://bi... oi galera do canal mundo dos famosos,estamos trazendo um vídeo sobre carinha de anjo,nesse vídeo vocês irão ver como estão as atrizes de carinha de anjo em 2... A 10/10 Facebook-bit.ly/2Ft2vn6 Imstagram-bit.ly/2I50lQ3 Twitter-bit.ly/2HGKRm8. LEIA A DESCRIÇÃO PARA GANHAR UM COOKIE Vídeo novo pessoal! Espero que gostem! Mais um vídeo de gameplay de VRChat retirado da live do canal daTwitch. Se ...